Tabagismo e alcoolismo: Sua empresa trabalha para combatê-los?

Por 30 de outubro de 2018Qualidade de vida no trabalho
Tabagismo e alcoolismo

Além de prejudicar a saúde, manter vícios também afeta a produtividade no ambiente laboral. Entre os principais estão o tabagismo e alcoolismo e seus efeitos não param apenas aos fins de semana ou nos momentos de lazer, perdurando durante o horário comercial. Portanto, é fundamental que as empresas trabalhem para combatê-los e, acima de tudo, conscientizem seus colaboradores.

Aos poucos, eles deixam de se sentir bem e têm seus comportamentos alterados, o que prejudica a execução das atividades como um todo e, é claro, seus desempenhos dentro do ambiente corporativo.

O uso indevido dessas substâncias interfere, inclusive, no relacionamento com colegas e superiores, o que pode causar muitos transtornos e inconveniências.

Por isso, é muito importante trabalhar essa questão internamente. Se você deseja saber mais sobre o assunto e descobrir como fazer a abordagem correta, continue a leitura deste artigo!

Como combater o tabagismo e alcoolismo dentro da empresa?

Sem dúvidas, o caminho mais eficiente para combater o consumo de drogas é através da educação e do fomento à informação dentro da empresa. Deixar os colaboradores conscientes das consequências desses vícios rende mais resultados do que uma intervenção naqueles que já estão viciados. Afinal, quem tem o hábito recorrente costuma apresentar muito mais resistência a um tratamento ou auxílio.

Portanto, é de compromisso da empresa promover campanhas de conscientização e palestras educativas para falar sobre o tema. Essas atividades são obrigatórias para as organizações adeptas da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e devem constar no calendário da SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho).

Fora do dia a dia de trabalho, é muito importante que a empresa também se mostre presente. Ela deve contar com uma equipe de assistência, composta por psicólogos e especialistas, para prestar apoio e orientação a quem deseja se recuperar.

Esse é um dever social, que garante não só o bem-estar do funcionário, mas de sua família e das demais pessoas de sua convivência.

Como a conscientização transforma os membros da equipe?

Uma equipe conscientizada e atenta está mais preparada para lidar com um colega que apresente o problema. Ela consegue identificar sinais e tomar as providências certas para ajudar no processo de reabilitação. Além disso, é fundamental para prestar força e incentivo nesse momento tão delicado.

Além disso, colaboradores conscientes também são mais unidos e responsáveis. Caso algum problema seja detectado na companhia, eles conseguem caminhar em uma mesma direção para solucioná-lo. Para completar, ficam mais envolvidos nesse tipo de ação social e se tornam agentes indispensáveis para espalhar esse tipo de conhecimento para estimular ações preventivas.

Como lidar com esse tipo de dificuldade no meio corporativo?

De fato, poucas empresas estão preparadas para lidar com esse tipo de dificuldade na sua rotina. A pressão diária, o estresse gerado pelas responsabilidades e um clima organizacional ruim contribuem para que o funcionário adote vícios. Sendo assim, é muito importante fornecer qualidade de vida a todos. Isso inclui vários detalhes que vão desde respeitar as limitações particulares de cada um até oferecer equipamentos e materiais de excelência para o trabalho.

É importante lembrar, porém, que esses fatores não são os únicos que influenciam a entrada de alguém no caminho do tabagismo e alcoolismo. Existe um conjunto de fatores emocionais e biológicos que também levam a esse resultado. Sendo assim, é essencial reforçar que a situação pode ser controlada com a ajuda de programas de prevenção e de proteção, que fazem com que os fatores de risco sejam minimizados e que a receptividade a respeito das ações seja melhor.

Por que promover programas de prevenção é a melhor saída e um grande investimento?

Os programas de prevenção são a melhor saída para controlar essa questão tão importante. Eles têm objetivos muito específicos, que vão além de conscientizar e sensibilizar a equipe. A princípio, eles também visam desencorajar o uso indevido dessas substâncias para proteger a vida e a saúde de quem está ao redor da pessoa diariamente.

A partir disso, a intenção é que o empregado reconheça que precisa de ajuda e apresente seus problemas à empresa. Ela, por sua vez, estará preparada para prestar assistência médica e psicológica. Se necessário, a promoção de atividades em conjunto com outros dependentes pode ser uma providência tomada para contribuir com a socialização e a adaptação desse novo colaborador.

Por serem bastante abrangentes, esses programas apresentam um efeito extremamente satisfatório. A produtividade aumenta, os colaboradores se sentem mais valorizados por receberem a preocupação e o contato mais próximo da empresa, e a equipe passa a abordar o assunto com mais naturalidade e domínio, justamente para criar um ambiente livre de vícios e ajudar colegas em dificuldades.

Quais são os reflexos que tabagismo e alcoolismo têm na saúde e no desempenho do trabalhador?

Caso as ações preventivas não sejam colocadas em prática, é importante lembrar de alguns fatos a respeito dos reflexos causados por esses vícios na saúde e no desempenho do trabalhador. Nesse cenário, acidentes de trabalho são comuns e podem desencadear sérios prejuízos para colaboradores e empresas.

O empregado que trabalha sob uso de substâncias tem mais chances de causar acidentes e sair ferido. A preocupação também se estende aos seus colegas, que podem ser atingidos. Em todos esses casos, a empresa pode ser responsabilizada, em parte até mesmo por não promover conscientização e ações internas.

Um empregado alterado também está sujeito a cometer falhas em seus processos. Tomar decisões erradas ainda acaba por contribuir com um ambiente pesado, desagradável e fora dos padrões recomendados para o universo corporativo.

Caso o funcionário volte de um intervalo alterado, por exemplo, isso ainda pode causar problemas pessoais, a depender das regras da organização e do posicionamento legal de acordo com a substância que ele utilizou.

Sendo assim, não perca tempo e comece agora mesmo a planejar ações preventivas contra tabagismo e alcoolismo na sua empresa. Caso tenha dificuldades para elaborar um plano eficiente, não se preocupe: a Beecorp está aqui para lhe ajudar. Entre em contato conosco e saiba como!

Comentários

Comentários