Reeducação alimentar no ambiente de trabalho: é possível?

Por 18 de abril de 2018Qualidade de vida no trabalho
Reeducação alimentar no ambiente de trabalho

A população brasileira vive uma situação alarmante quando o assunto é obesidade e doenças crônicas. Segundo a Organização Mundial de Saúde, já somos o segundo país com maior índice de obesidade. De acordo com o Ministério da Saúde, 30 milhões de brasileiros têm hipertensão arterial, 9 milhões são diabéticos e em 2013 tivemos mais de 339 mil mortes por doenças cardiovasculares.

A má alimentação é uma das principais causas das doenças citadas. Somada a hábitos de vida ruins, como o sedentarismo e a predisposição genética, a probabilidade de incidência dessas doenças aumenta consideravelmente.

Apesar de nosso país dispor de uma grande variedade de frutas e verduras — alimentos que são muito saudáveis e essenciais na alimentação —, a ingestão desses é muito baixa pela população. Segundo a pesquisa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) sobre o consumo de frutas e hortaliças no país, apenas 18,2% dos brasileiros ingerem a quantidade de frutas recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 400 gramas por dia.

Os adultos em idade ativa passam cerca de 8 horas diárias trabalhando. Assim, boa parte da alimentação é feita durante a jornada laboral. Portanto, o ambiente de trabalho se faz um local ideal para promover ações de reeducação alimentar que garantirão mais saúde e mais produtividade ao colaborador. O conhecimento adquirido é transformador, gera uma alimentação saudável no trabalho e faz com que as pessoas coloquem em prática os hábitos fora da empresa, os tornando parte de suas vidas. Quer entender mais como isso é possível? Continue a leitura!

Afinal, o que é a reeducação alimentar?

A reeducação alimentar parte do princípio que o indivíduo foi educado, ao longo da vida, com hábitos alimentares diversos e não necessariamente adequados. Os hábitos e preferências alimentares são formados ainda na gestação e após o nascimento vão se consolidando. O ambiente influencia muito a formação e a aquisição de hábitos alimentares e, em geral, as pessoas se alimentam muito mal. Por consequência, é necessária uma reeducação alimentar. Segundo a especialista em qualidade de vida na empresa, Márcia Martino:

“A reeducação alimentar consiste em um processo de mudança comportamental, no qual ocorre uma modificação nos hábitos alimentares das pessoas. A perda de peso é a primeira consequência desse processo, já que uma alimentação balanceada passa a substituir hábitos errados como a ingestão de elevados índices de gordura e açúcar.”

Dessa forma, a reeducação alimentar não se trata de uma simples consulta ao nutricionista, é um processo completo e transformador que modifica a maneira de se alimentar, a relação com os alimentos e a escolha de cada um.

Como promover a reeducação alimentar na empresa?

A reeducação alimentar no ambiente de trabalho é de fácil aplicação. Afinal, os colaboradores já estão ali e é um assunto que os interessa muito, assim, as ações têm grande envolvimento de todos. A primeira etapa, normalmente, consiste no diagnóstico nutricional dos colaboradores. É feita uma análise nutricional completa e individual, avaliando fatores como:

  • peso;
  • altura;
  • percentual de gordura;
  • percentual de massa muscular;
  • Índice de Massa Corporal (IMC);
  • estado nutricional geral;
  • ingestão alimentar;
  • presença de doenças crônicas;
  • função Intestinal;
  • entre outros.

Após o diagnóstico, a nutricionista fará orientações de acordo com as necessidades do colaborador, a partir dos conceitos de grupos alimentares, como: energéticos (carboidratos), construtores (proteínas), reguladores (frutas e verduras) e energéticos extras (óleos, gorduras e açúcares) para conscientizar o trabalhador e ajudá-lo a fazer as adaptações necessárias em sua alimentação.

Posteriormente, uma vez por mês, haverá um novo encontro e novas orientações serão passadas, segundo os grupos alimentares. Geralmente, esse processo dura cerca de 6 meses, assim o colaborador passa por um trabalho intenso e construtivo para aprender mais sobre alimentação, se conscientizar e obter o apoio necessário para modificar seus hábitos alimentares.

Quais são os hábitos que devem ser incentivados entre os colaboradores?

Durante o reforço da importância de uma alimentação saudável no trabalho, é importante estimular alguns hábitos entre os colaboradores. O primeiro deles é não deixar de almoçar. Por vezes, é natural que a manhã seja totalmente ocupada por reuniões ou que a linha de produção esteja a todo o vapor. Mas isso não é motivo para ignorar a refeição.

É fundamental que os colaboradores tenham horários definidos para este momento e que ele seja cumprido com calma: mastigar e saborear os alimentos também faz parte de uma reeducação alimentar. O mesmo vale para as demais refeições e lanches do dia, que não devem ser realizados às pressas e nem em frente do computador.

Os intervalos servem também para que uma caminhada pela empresa seja feita. O hábito de se movimentar por alguns minutos ajuda na digestão, alivia o estresse e é uma oportunidade de ver o que está acontecendo em outros setores ou até mesmo tirar um momento em particular para refrescar a cabeça e retornar mais focado às atividades.

Por fim, é interessante incentivar a atenção às porções. Afinal, o exagero não é nada bom para quem precisa se alimentar no trabalho. A explicação para isso é científica: o cérebro avisa ao corpo quando deve parar de comer, pois já se sente saciado. Contudo, a ação não é imediata e é por isso que há a repetição da refeição.

E, se ingerir comida em excesso, o colaborador pode se sentir indisposto, desanimado e sentir certos incômodos, como a fadiga e a dor de cabeça. Se o alimento for consumido em sua devida quantidade, tais problemas não precisarão ser enfrentados.

Como promover atividades coletivas?

Durante o processo de reeducação alimentar no ambiente de trabalho, é comum que o profissional responsável perceba a incidência de distúrbios e doenças entre os colaboradores, como: sobrepeso, obesidade, hipertensão arterial (“pressão alta”), diabetes, hipercolesterolemia (“colesterol alto”), dentre outros. Nesse caso, é interessante promover também atividades coletivas, como palestras e intervenções temáticas. Essas atividades são muito efetivas, pois promovem o envolvimento de toda a equipe, as pessoas se ajudam e percebem que não estão sós para enfrentar a situação.

Temas de relevância podem ser trabalhados, como:

  • importância de uma alimentação saudável;
  • alimentação e doenças crônicas;
  • perigos da alta ingestão de açúcar e de sódio;
  • fracionamento das refeições durante o dia;
  • perigos de jejuns prolongados;
  • alimentação e cognição: alimentos importantes para memória, raciocínio e concentração;
  • alimentação como forma de prevenção de doenças e aumento do sistema imunológico;
  • como se alimentar bem fora de casa;
  • alimentação saudável com baixos custos;
  • como se alimentar bem no trabalho.

Os temas relacionados à alimentação são abrangentes e bem variados e podem ser trabalhados de uma maneira bem lúdica e interessante, por meio de dinâmicas, palestras interativas, jogos, entre outros.

Além da integração entre colaboradores, as atividades coletivas também contribuem para que os esforços individuais para se alimentar bem não sejam sabotados. Ao perceber que todos os colegas estão realmente envolvidos na missão de reeducação alimentar, dificilmente um colaborador sentirá vontade de abandonar os hábitos.

O que comer durante o trabalho?

Tanto nas opções oferecidas pela empresa, quanto nos lanches que os próprios colaboradores são orientados a levar de casa, alguns alimentos devem estar sempre presentes. Eles devem ser práticos, para se adequar ao cotidiano agitado do ambiente, mas não devem deixar de fornecer energia, bem-estar, concentração e conforto ao trabalhador. Veja alguns exemplos:

Frutas

Sem dúvidas, as frutas são as melhores opções para qualquer momento do dia. Entre suas principais propriedades, estão o estímulo à digestão e a ajuda na absorção de alguns alimentos contidos em alguma refeição anterior. Após o almoço, por exemplo, elas são uma excelente opção de sobremesa.

Iogurte

Versátil e com diversos sabores e tamanhos, o iogurte cai bem em qualquer horário em que a fome bater. Contudo, como precisa ser devidamente armazenado em refrigeração, é ideal que a empresa disponibilize uma geladeira ou frigobar para os funcionários. Do contrário, o alimento perderá seu valor nutricional e também o sabor.

Castanhas

Para quem sente vontade de beliscar durante todo o dia, castanhas e oleaginosas são alimentos muito saudáveis. São ricas em selênio e vitamina E, que possuem antioxidantes responsáveis pela regeneração de células e produção de serotonina, neurotransmissor importante na atividade cerebral. Em um recipiente bem fechado, podem ser guardadas dentro de gavetas e armários com discrição, onde o funcionário tem acesso durante todo o dia.

Pão integral

Os colaboradores também podem optar pelo sanduíche de pão integral. Rico em fibras, vitaminas e minerais, contribuem para o bom funcionamento do intestino. O recheio fica a critério de cada um, mas deve ser saudável: queijo branco, creme de ricota, frango desfiado e salada são apenas algumas das sugestões mais populares.

Frutas secas

Para variar o consumo de frutas, elas podem ser ingeridas em sua versão seca. Deste modo, concentram mais fibras, vitaminas e minerais. Em alguns casos, a fruta seca chega a ser ainda mais saudável do que em sua forma natural. Um exemplo disso é o damasco, rico em fósforo, potássio e cálcio e que ajuda inclusive na fortificação óssea.

Chás

Gelados ou quentes, os chás são ótimos para promover a hidratação do organismo. Se não houver como prepará-los na própria empresa, o colaborador pode levar de casa em uma garrafa térmica. Eles não apresentam grandes perdas de nutrientes e podem ser tomados ao longo do dia.

Uma observação importante: é normal considerar que, em ambientes corporativos, o famoso cafezinho seja indispensável. Porém, ele deve ser consumido no máximo três vezes por dia e com nenhum ou o mínimo possível de açúcar. Muita cafeína no organismo causa agitação e desconcentração: se estiver muito adoçada, a sensação piora e ainda acresce a dieta de muitas calorias a mais.

Quais são as vantagens para o colaborador?

A reeducação alimentar no ambiente de trabalho promove a adoção de hábitos alimentares saudáveis que impactam diretamente na saúde e bem-estar dos colaboradores. Afinal, com uma nutrição melhor do corpo, o sistema imunológico se fortalece e previne-se de doenças, além dos benefícios físicos, como a redução de peso, e os benefícios psicológicos, como a redução de estresse e de ansiedade e o aumento de ânimo e motivação. A especialista em qualidade de vida no trabalho, Márcia Martino diz que:

“Vale destacar que além da perda de peso há outras vantagens provenientes da adoção de uma alimentação saudável, tanto no âmbito físico como no psicológico. Podemos citar o controle de doenças e a melhoria da imagem corporal, respectivamente”.

Aquele sono excessivo tão característico após o horário de almoço também vai embora. Com a mente em ordem, o profissional consegue inclusive ser mais criativo e paciente. A vontade de realizar as atividades se intensifica e, consequentemente, os resultados de desempenho crescem bastante.

É importante ressaltar que o equilíbrio alimentar também proporciona aos colaboradores mais força e menos tensão muscular. Ou seja, durante ocasiões de maior pressão ou importância, eles não sentirão desconforto e incômodos com intensidade e terão mais tranquilidade para lidar com a situação.

E para a empresa?

A promoção de uma reeducação alimentar no ambiente de trabalho é extremamente interessante, pois ao ser feita coletivamente os colaboradores se ajudam e são motivados uns pelos outros a passarem juntos pelos desafios que a mudança de hábito pode conferir. Isso facilita a adesão ao programa, traz motivação e promove integração da equipe.

Além disso, a adoção de hábitos alimentares saudáveis aumenta o ânimo e a disposição dos colaboradores, que se sentem cuidados pela empresa e ficam mais satisfeitos. Aumenta também a concentração, o raciocínio e a memória, assim como combate o estresse, melhorando o rendimento do colaborador e reduzindo os índices de presenteísmo. E com o fortalecimento de sua saúde, reduz adoecimentos e afastamentos. Todos esses fatores interferem diretamente na melhora da produtividade.

A reposição correta de energia por meio da alimentação evita mais um fator que merece atenção: os acidentes de trabalho. Quando um funcionário não se alimenta bem, seus movimentos são mais lentos e dispersos. Deste modo, as possibilidades de um acidente crescem e podem resultar em transtornos ainda maiores. Neste cenário, destaca-se novamente a importância de refeições adequadas para toda a equipe.

Como conscientizar os colaboradores?

Durante o processo de reeducação alimentar no ambiente de trabalho, os colaboradores são orientados a criarem uma conscientização da adoção de hábitos alimentares saudáveis. Essa compreensão é fundamental para que eles apliquem o aprendido fora do ambiente de trabalho.

Muitas empresas vêm adotando a reeducação alimentar como estratégia para promover o bem-estar corporativo. A FIAT, por exemplo, oferece um programa de Nutrição e Saúde que proporciona um acompanhamento nutricional aos seus colaboradores. Além dos benefícios estéticos, o programa melhora, de forma integral, a qualidade de vida e saúde dos participantes.

Além disso, é interessante aliar essa reeducação alimentar à implementação de ações de promoção da atividade física. Assim, trabalha-se a alimentação saudável aliada ao combate ao sedentarismo, potencializando os resultados. Como são inúmeros os benefícios para os colaboradores e para as próprias empresas, elas estão percebendo que o investimento vale a pena e traz retornos muito positivos.

A implantação de um programa que visa à alimentação saudável no trabalho deve estar aliada a mensuração de resultados. A BeeCorp oferece todas essas possibilidades para sua empresa.

 

Gostou do artigo? Leia também:

 

 

Comentários

Comentários