Doenças no trabalho: 5 principais que merecem atenção

Doenças no trabalho
Por: admin

Doenças no trabalho são aquelas que surgem em razão das atividades desenvolvidas ou do ambiente laboral. Quando ocorre o que se conhece por doença ocupacional, deve estar claro que não se trata de uma ocorrência específica de uma determinada função.

Assim, um bom exemplo é o caso da depressão desenvolvida no trabalho. Não é o resultado específico do desempenho de uma determinada função, mas tem origem em um contexto no qual o trabalhador está inserido.

Continue a leitura e conheça 5 das principais doenças no trabalho.

1. Estresse ocupacional

Estresse é uma reação natural do organismo, mas de curta duração e natureza pontual. No entanto, as constantes mudanças do mundo moderno, sobretudo nos âmbitos social, econômico e tecnológico conduzem muita gente a situações estressantes por longos períodos.

O estresse como condição crônica resulta da interação de diversos fatores físicos e psicológicos, como a ansiedade, o cansaço, distúrbios digestivos, entre outros. As causas podem ser múltiplas e variadas.

Por sua vez, no ambiente ocupacional, as pressões do trabalho, a elevada competitividade e, muitas vezes, a gestão conduzida com rigor excessivo podem levar ao estresse laboral. Essa é uma das principais ocorrências em empresas que não implementam um programa de qualidade de vida.

2. Depressão ocupacional

O transtorno depressivo é caracterizado pelo humor deprimido associado a outros sintomas, como a ausência de interesse e de prazer na realização de qualquer atividade. A depressão traz prejuízos para a vida social e ocupacional do colaborador.

A depressão cujas causas estão relacionadas às atividades desenvolvidas na empresa (ou em razão dela) ou às condições do ambiente de trabalho é referida como depressão ocupacional. Sua origem pode estar em um desgaste físico ou emocional do trabalhador cuja constância e sedimentação alteram seus pensamentos e seu comportamento.

3. LER e DORT

A lesão por esforço repetitivo (LER) e o distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho (DORT) resultam de uma postura incorreta ou de movimentos excessivos. Podem provocar dor que se torna crônica, incapacitando para as atividades rotineiras.

A LER não é exclusiva do trabalho desenvolvido, mas o DORT está relacionado à rotina do trabalhador na empresa. Uma atenção especial dada aos cuidados ergonômicos pode evitar o surgimento dessas manifestações.

4. Distúrbios da visão

Os olhos são órgãos muito sensíveis e precisam ser adequadamente protegidos. Além da proteção preventiva, trabalhos noturnos, jornadas longas e atividades como siderurgia e metalurgia são especialmente propensos a causar danos se não forem tomadas medidas de proteção efetivas.

Entre os principais problemas que podem surgir relacionados ao desgaste dos olhos estão:

  • dificuldades para leitura;
  • embaçamento da visão;
  • catarata;
  • conjuntivite;
  • dores de cabeça.

5. Déficits auditivos

O trabalho submetido a ruídos elevados sem a devida proteção e de modo contínuo pode conduzir à perda da sensibilidade auditiva. O distúrbio pode ser apenas temporário ou continuar evoluindo para perda gradativa da audição.

Sua ocorrência é mais comum nas atividades em que rotineiramente existe barulho de intensidade moderada a elevada, nas quais se requer o uso de proteção auditiva. A não utilização do EPI adequado, assim como sua subutilização podem viabilizar o surgimento da deficiência.

O cuidado da empresa para evitar o surgimento de doenças no trabalho começa com a atenção dada às determinações da legislação, especialmente no fornecimento de EPIs adequados. Mais que isso, continua nos cuidados com a ergonomia no ambiente de trabalho e com a constante avaliação dos riscos existentes.

Se você gostou deste post, compartilhe com seus amigos em suas redes sociais e dê-lhes a oportunidade de aproveitar a boa informação.

Author
admin
x

Solicite uma proposta






    Fale com consultor!

    Fale com um consultor