Atenção plena: guia para praticar no ambiente de trabalho

atenção plena
Por: Douglas Araújo

O excesso de informações e o constante uso da tecnologia nos torna cada vez mais acelerados e desconectados com o presente. Com tantos impulsos, é normal ocorrer o aumento da ansiedade e do estresse, além da dificuldade para manter a concentração. No entanto, existem terapias capazes de combater esse problema e promover o bem-estar. Um exemplo disso é o mindfulness — que significa atenção plena.

Neste artigo, você vai entender como essa terapia funciona e como colocá-la em prática no seu dia a dia. Confira!

O que é atenção plena?

Trata-se de um exercício de gerenciamento da mente que consiste em treinar a atenção para o momento presente. Sua origem vem do século passado, mais precisamente, de 1979, por meio do budismo.

Para exercitar a técnica, é preciso manter a consciência e a atenção no aqui e no agora, sem qualquer tipo de julgamento. Ou seja, praticar a auto-observação mediante quaisquer circunstâncias. Ao criar esse hábito, você oferece um descanso para a mente e recarrega as energias para desenvolver as suas atividades com mais leveza e concentração.

O melhor de tudo é que essa atividade não requer grandes planejamentos, pode ser facilmente inserida na rotina. Por exemplo, ao caminhar, concentre-se apenas nos seus passos. Observe os seus pés tocando o solo e impulsionando seu corpo para frente. Sinta os movimentos realizados a cada passo.

Outro exemplo básico é a alimentação. Qual a sua distração nesse momento? O trabalho? Uma televisão? Que tal abdicar do uso de aparelhos tecnológicos e, simplesmente, observar o seu prato? Veja os ingredientes, sinta-os durante a mastigação e use o tempo necessário para fazer a refeição com calma.

Ao voltar do trabalho, tome um banho relaxante e use um tempo para cuidar do seu corpo. Pode ser uma rotina de skincare, a prática de um exercício físico, uma massagem, yoga ou meditação. Nos momentos críticos, pare e identifique essa alteração. Se concentre em você nesse momento, faça três respirações longas e conscientes para voltar ao estado de equilíbrio e repense as suas atitudes nos minutos seguintes.

Se antes você sentia falta de investimento em saúde mental, com o exercício da atenção plena, você terá dias mais leves, tranquilos e satisfatórios.

Qual a importância de desenvolver a atenção plena?

Dentre as vantagens da prática, estão:

Combate à ansiedade;

Diminuição da insônia;

Redução do estresse;

Promoção da satisfação pessoal;

Contenção da hipertensão;

Aumento da capacidade de concentração;

Redução dos sintomas relacionados à depressão;

Desenvolvimento da inteligência emocional;

Retardo do envelhecimento;

Fortalecimento do sistema imunológico.

Pessoas que praticam a atenção plena se sentem mais dispostas e desempenham melhor suas tarefas. Com uma concentração mais estável, será possível aumentar a capacidade cognitiva e evitar erros. Outro aspecto positivo é o aprimoramento de habilidades relacionais e emocionais, como liderança, trabalho em equipe, mediação de conflitos, escuta ativa, resiliência e flexibilidade psicológica.

Ou seja, uma organização só tem a ganhar com o incentivo a essa prática. Os colaboradores vão desenvolver a empatia, o controle emocional e outras habilidades fundamentais para o ambiente corporativo. Com mais segurança e autoconfiança, cada colaborador aumentará seu poder de decisão e terá uma melhoria nas suas relações de trabalho com os demais colegas.

Como estimular a atenção plena junto aos colaboradores?

Para exercitar a atenção plena, é necessário escolher um ambiente tranquilo, de preferência, silencioso ou com sons tranquilos para relaxar a mente. Para isso, invista em um espaço ventilado, com iluminação natural e plantas, compondo um ambiente calmo e acolhedor.

Como os benefícios só são percebidos com a regularidade da prática, estabeleça um percurso em que você visualize ou passe por esse ambiente pelo menos uma vez ao dia.

Espaços harmonizados

Com o ambiente propício, disponibilize áudios terapêuticos, como mantras, frequência delta e música suave. Tapetes de yoga e ferramentas que auxiliam exercícios de alongamento também são bem-vindos.

Invista em uma decoração com tons leves e energizantes, como o verde, o branco e o azul claro. Se possível, deixe uma TV ou projetor ligado executando vídeos que transmitam tranquilidade, com imagens da natureza e obras de arte.

Incentivo a exercícios

Algumas empresas oferecem aulas esportivas para os seus colaboradores como forma de relaxar a mente após o expediente. Esportes como jiu-jitsu, corrida e yoga são boas opções, mas existem alternativas práticas no próprio ambiente de trabalho.

Um exemplo fácil é manter a atenção na respiração por um minuto. Para motivá-los, deixe recados pelos corredores e próximo às estações de trabalho com as instruções.

Exemplo: “Pare por um minuto e fique atento à sua respiração. Deixe os pensamentos virem e passarem, não se prenda a eles. Com essa prática, você reequilibra o seu sistema nervoso e passa a tomar decisões fundamentadas, em vez de simplesmente reagir às situações. Apenas respire atentamente por um minuto”.

Gestão de tempo e de atividades

Muitas vezes a produtividade não tem relação com quantidade, e sim, com qualidade. Isto é, desempenhar várias atividades ao mesmo tempo pode ser improdutivo. Exatamente, o excesso de informações e atividades paralelas pode ser muito prejudicial para o rendimento no trabalho.

Você pode constatar isso na prática: use duas horas para realizar tarefas únicas em sequência, e outras duas horas para ser multitarefa. Anote os resultados de cada e compare: é melhor fazer em uma coisa de cada vez do que tentar fazer tudo ao mesmo tempo. Seu poder de concentração será maior ao focar cada atividade de forma isolada, com início, meio e fim, em vez de vários inícios e atividades incompletas.

Existem algumas técnicas que podem ajudar nesse processo. A Matriz de Eisenhower cataloga as demandas em urgente, não urgente, importante e não importante.

O primeiro quadrante, sinalizado de vermelho, identifica o que deve ser feito agora. O segundo, em amarelo, é destinado para atividades que devem ser planejadas e programadas. O terceiro, em azul, mostra o que deve ser delegado ou está em andamento. Por fim, o quarto quadrante, verde, indica o que foi realizado e deve ser eliminado do quadro.

A ideia é começar o dia movendo as atividades do primeiro até o último quadrante para dar fluência aos processos. Dentre outros exemplos de ferramentas estão o Pomodoro (concentre-se por 25 minutos e dê uma pausa de 5 minutos) e o Trello, muito utilizado no ambiente profissional para integrar as equipes e promover a ideia de organização e pertencimento ao time.

Viu como a atenção plena tem um poder transformador? Além de aumentar a qualidade de vida no trabalho, a prática também traz melhorias para a vida pessoal e social. Aos poucos, os resultados serão visíveis e trarão mais motivação para a sua rotina. Lembre-se: exercer a atenção plena é, antes de tudo, um cuidado com a saúde, portanto, deve ser uma prioridade na sua rotina.

Gostou do artigo? Que tal desenvolver mais o autoconhecimento e descobrir os benefícios da meditação no ambiente de trabalho?

Conte com a Beecorp para te ajudar a promover e consolidar um ambiente saudável para a sua empresa. Fale conosco!

Author
Douglas Araújo
Coordenador de projetos da BeeCorp, Douglas é especialista em educação física, enfermagem e terapeuta complementar. É um dos responsáveis por garantir que a metodologia BeeCorp de atendimento seja padrão e chegue a todos os nossos multiplicadores do bem-estar espalhados pelo Brasil.
x

Solicite uma proposta






    Fale com consultor!

    Fale com um consultor