Blog da Beecorp

Atenção Primária
Saúde

Veja como a Atenção Primária à Saúde cuida da pessoa e não da doença

A Atenção Primária à Saúde, ou APS, é um conceito utilizado para organizar o atendimento de saúde oferecido às pessoas. Esse modelo tem sido praticado pelo setor público no Brasil para levar atendimento médico de forma regionalizada e sistematizada para todos.

No entanto, empresas também podem adotar a APS com o objetivo de oferecer cuidados básicos e essenciais para os seus colaboradores. Assim, garantem para eles mais qualidade de vida e, ao mesmo tempo, promovem benefícios para si mesmas.

O foco principal da APS é cuidar da pessoa, não da doença, uma vez que possibilita fazer a prevenção de problemas e evitar que aqueles preexistentes se agravem. Preparamos este artigo para explicar com mais detalhes como esse conceito funciona. Continue a leitura!

O que é a Atenção Primária à Saúde?

Em 1978, a Organização Mundial da Saúde (OMS) promovia a Conferência Internacional Sobre Cuidados Primários de Saúde. Após esse evento, foi emitida a Declaração de Alma-Ata, que trazia a primeira definição de Atenção Primária à Saúde.

A declaração dizia que a APS consiste nos cuidados essenciais de saúde oferecidos às pessoas com base em métodos e tecnologias práticas, que tenham fundamentos científicos e sejam socialmente aceitáveis. Devem ser colocados ao alcance de todos os indivíduos, famílias e comunidades.

Sendo assim, a APS pode ser definida como o primeiro contato que uma pessoa tem com os cuidados de saúde. Por meio dele, recebe atenção contínua para atender exatamente suas necessidades e, ainda, com o objetivo de fazer a prevenção de doenças e problemas.

Como a APS funciona?

Como explicamos, a Atenção Primária à Saúde é o cuidado inicial que uma pessoa recebe para promover o equilíbrio do seu organismo. Ela integra ações curativas, para tratar problemas já existentes, e ações preventivas, objetivando evitar que novas doenças se manifestem.

Esse atendimento inicial é realizado por um médico da família, geralmente especializado em Clínica Geral. Ele não foca apenas o problema que já se instalou, mas trata a pessoa de uma forma mais holística, considerando os fatores que levaram até esse quadro.

O intuito não é, por exemplo, em um caso de dor de cabeça, oferecer um analgésico, mas entender o que está por trás dessas manifestações dolorosas. Com isso, é possível tratar a raiz dessa condição, evitar que o quadro se repita e que outras condições se manifestem de forma associada.

Perceba que na Atenção Primária à Saúde é oferecido um cuidado completo para o indivíduo. O médico considera, inclusive, o estilo de vida adotado pelo paciente, os ambientes em que ele frequenta — incluindo sua casa e trabalho, hábitos alimentares, a prática de exercícios, entre outros aspectos que influenciam o equilíbrio orgânico e mental.

Como a APS torna a empresa mais saudável?

Lembra que falamos que as empresas também podem adotar a Atenção Primária à Saúde? Esse cuidado pode ser oferecido no próprio ambulatório da organização, disponibilizando o médico para atender os colaboradores sempre que for necessário.

Com isso, a empresa acompanha o quadro de saúde desses profissionais, entende quais são os problemas que predominam entre eles e os riscos para desenvolverem doenças. Essas informações contribuem de forma significativa para adotar medidas preventivas.

Elas podem ser personalizadas para cada colaborador, a fim de aumentar a imunidade de acordo com suas condições clínicas e o risco maior ou menor de ter problemas de saúde. Mas também é uma forma de a empresa entender quais parâmetros pode melhorar ou precisa modificar para que o trabalho não seja o causador dessas condições.

Perceba que a APS é uma forma de promover mais humanização na saúde, afinal, a pessoa é colocada no centro desse atendimento. O foco está em suas necessidades, não na doença em si, e é isso que permite à empresa se tornar mais saudável.

Problemas preexistentes serão controlados, o colaborador será convidado a participar do processo de prevenção de doenças, recebendo orientações e indicações de medidas que ajudarão a ter mais qualidade de vida. Isso reflete no ambiente de trabalho.

Os profissionais têm mais disposição para desempenhar suas funções, se mostram mais concentrados e produtivos. Além disso, ficam satisfeitos com o cuidado que a empresa oferece para eles, o que resulta em motivação e ainda mais dedicação com os resultados.

Por que investir em Atenção Primária à Saúde?

Um dos recursos que as empresas têm à sua disposição para manter seu quadro de colaboradores mais saudável é a oferta de um plano de saúde. No entanto, não podemos negar que esse benefício tem um impacto significativo nas finanças em função do seu alto custo.

Além disso, o orçamento precisa ser ainda mais alto de acordo com a taxa de sinistralidade registrada na organização. Logo, quanto menos cuidados de saúde os colaboradores recebem, mais alto será o valor necessário para manter o plano.

Sendo assim, a empresa consegue uma redução de custos significativa quando, por ela mesma, adota uma política de Atenção Primária à Saúde. Afinal, estará oferecendo esse atendimento inicial para fazer o controle de uma grande parte das doenças e a prevenção de outras.

Dessa forma, minimiza a necessidade de o colaborador procurar um plano de saúde para atendimento com um especialista em determinada área. Segundo a OMS, por meio da APS conseguimos atender de 80 a 90% das necessidades de uma pessoa ao longo de toda a sua vida.

Portanto, fazendo uma boa gestão de ambulatório é possível disponibilizar o médico da família dentro da empresa, ficando à disposição dos colaboradores sempre que necessário. Assim, eles não precisam marcar consultas em clínicas e ambulatórios, o que afeta seu horário de trabalho.

Como dito, é um modo de reduzir a sinistralidade do plano de saúde, minimizar a utilização dele e garantir um cuidado mais próximo, com atenção total às necessidades de cada um dos colaboradores, mantendo-os saudáveis e com seus problemas preexistentes sob controle.

Por isso, na implementação da APS é importante fazer um levantamento das demandas da empresa, a fim de identificar quais profissionais, além do médico da família, podem ser necessários. Também podemos disponibilizar, por exemplo, enfermeiro, nutricionista, psicólogo ou dentista, conforme aquilo que causa mais sinistralidade na organização.

A Atenção Primária à Saúde beneficia grandemente os colaboradores, mas, ao mesmo tempo, traz vantagens para a empresa. Ao passo que ela cuida do seu quadro de funcionários, garantindo qualidade de vida para eles, tem um retorno positivo com sua produtividade e engajamento, além de minimizar os custos com o plano de saúde.

A APS é uma prática que pode ser facilmente implementada nas organizações. Então, compartilhe em suas redes sociais para que outras pessoas saibam disso.