Blog da Beecorp

Conheça as doenças causadas pelo estresse no ambiente de trabalho
Saúde Ocupacional

Conheça 7 doenças causadas pelo estresse no ambiente de trabalho

Você sabia que existem algumas doenças causadas pelo estresse e que podem afetar a vida profissional? Para muitos, o ambiente corporativo é extremamente tóxico e, em boa parte dos casos, consegue prejudicar a saúde do indivíduo, comprometendo o seu desempenho profissional.

Não é para menos: atualmente, muitas corporações mantêm um estilo competitivo, estimulando os seus funcionários a apresentarem resultados cada vez melhores e trabalharem sob extrema pressão. Como consequência, algumas complicações podem surgir, que vão desde doenças psicológicas até transtornos cardiovasculares.

Portanto, se você deseja manter o sucesso da sua empresa, é importante cuidar do bem-estar de seus colaboradores desde já. Quer se aprofundar no assunto? Então, conheça as principais condições de saúde que atingem os trabalhadores e saiba como evitá-las!

1. Insônia

A insônia é uma das principais doenças causadas pelo estresse. Ao se deparar com um grande acúmulo de tarefas, carga-horária extensa e muita pressão no âmbito profissional, o indivíduo se tornará extremamente estressado alterando, assim, a qualidade do seu sono.

Infelizmente, o resultado desse cenário é um só: sem dormir direito, o colaborador ficará ainda mais cansado e, no dia seguinte, não terá energia suficiente para realizar as suas atividades. Esse quadro também é capaz de interferir no metabolismo e, até mesmo, no seu humor.

Para evitar o cenário, é importante gerenciar os projetos que estão sendo executados pelo funcionário, otimizando a sua jornada de trabalho e promovendo pequenas pausas ao longo do dia. Além disso, outras práticas são excelentes para contornar o problema e podem ser integradas na empresa, como exercícios físicos ou aulas de meditação. Vale a pena!

2. Síndrome de Burnout

Já ouviu falar na Síndrome de Burnout? Caso não saiba, a doença consiste em um esgotamento generalizado. Em outras palavras, o indivíduo fica física e emocionalmente desgastado, sem conseguir realizar as suas tarefas habituais ou se relacionar de forma saudável com outras pessoas.

Obviamente, esse cenário influenciará, diretamente, na sua rotina profissional, uma vez que o colaborador ficará estressado, irritável, além de apresentar sintomas de paranoia, perseguição e falta de interesse sobre questões que, antigamente, pareciam interessantes.

A princípio, essa condição pode ser confundida com a depressão, uma vez que os sintomas são similares. No entanto, somente um médico conseguirá prestar o devido diagnóstico e encaminhar o paciente para o melhor tratamento.

Complicações como a Síndrome de Burnout mostram a necessidade de se contar com uma equipe interdisciplinar no ambiente de trabalho. Ao contratar profissionais especialistas na área, haverá mais facilidade para identificar alterações na saúde dos funcionários e, posteriormente, prestar o devido acompanhamento.

3. Síndrome do pânico

A Síndrome do Pânico também é uma das doenças causadas pelo estresse no ambiente profissional. Considerada um transtorno de ansiedade, essa condição faz com que os indivíduos sofram ataques de pânico, que são caracterizados como momentos de extremo medo sem qualquer razão aparente.

Para se ter uma ideia, pessoas que vivenciam esses ataques costumam acreditar que estão sendo perseguidas ou que vão morrer.

Sem dúvida, é uma condição capaz de prejudicar o bem-estar, tanto do indivíduo, quanto das pessoas que fazem parte do seu convívio. Quando a situação se agrava, é possível que o profissional não tenha, sequer, coragem para sair de casa ou realizar suas tarefas cotidianas, como ir ao trabalho ou participar de reuniões.

4. Depressão

Todo mundo já ouviu falar na temida depressão. Conhecida como mal do século, essa complicação acontece, principalmente, por conta de alterações hormonais. Explicamos: o cortisol é uma substância responsável por controlar o estresse do nosso corpo.

Quando vivemos situações de extremo desgaste emocional, há um aumento desse hormônio, enquanto outros componentes sofrem severa diminuição, como a dopamina e a serotonina. Esses, por sua vez, são os neurotransmissores que influenciam nas emoções, como a sensação de alegria ou bem-estar.

Sem a quantidade adequada dessas substâncias, o indivíduo tem grandes chances de desenvolver a depressão. Para prevenir esse quadro, buscar equilíbrio é fundamental. Realizar exercícios físicos, manter uma dieta balanceada e seguir uma rotina de trabalho saudável são alguns exemplos.

Quando não tratada, a depressão pode causar desânimo, isolamento, irritabilidade e, em alguns casos, levar o indivíduo ao suicídio. Por isso, a recomendação é que as empresas promovam campanhas de conscientização e orientem seus funcionários a buscar ajuda médica.

5. Transtornos alimentares

Ao vivenciar situações muito estressantes, o profissional pode desenvolver distúrbios alimentares gravíssimos. Dentre eles está a anorexia e a bulimia. A anorexia, por exemplo, é um transtorno alimentar que faz com que a pessoa não se alimente adequadamente, pulando refeições ou passando o dia sem comer.

Já a bulimia é caracterizada pela ingestão excessiva de alimentos e, posteriormente, o indivíduo provoca o seu vômito ou faz uso contínuo de laxantes. Ambas as situações colaboram para a deficiência de nutrientes no organismo, fazendo com que a pessoa se sinta fraca, desanimada ou desenvolva anemia e outras doenças preocupantes.

É importante ressaltar que, em muitos casos, tais transtornos surgem para suavizar algumas insatisfações internas, que podem estar diretamente ligadas ao âmbito profissional.

6. Problemas cardiovasculares

Os problemas cardiovasculares costumam surgir em decorrência do estresse crônico — que provoca o fechamento das veias e artérias do coração.

Uma vez que esses canais estão obstruídos, há a diminuição do fluxo de sangue, aumentando os batimentos cardíacos e, consequentemente, a pressão arterial.

Como já era de se esperar, essa alteração não é nada positiva e pode comprometer o desempenho do organismo, causando complicações seríssimas, como o infarto ou o Acidente Vascular Cerebral (AVC). Um perigo!

Uma maneira bastante simples e eficaz de fugir desse problema e cuidar da saúde dos seus colaboradores é criar espaços de convivência na empresa, promover a motivação das equipes e desenvolver campanhas de conscientização sobre a importância de manter um estilo de vida saudável.

7. Problemas de pele

Muitos não imaginam, mas as doenças de pele também podem ser causadas pelo estresse excessivo. Exemplos disso? A famosa acne, ou espinha, e a psoríase — um problema crônico e responsável por desenvolver manchas vermelhas na pele.

Normalmente, tais manchas descamam, coçam e aparecem nas mãos ou nos pés. Essa é mais uma prova de que o estresse pode, sim, afetar a saúde e comprometer a autoestima do indivíduo.

Dito isso, todo cuidado é pouco: para ser uma empresa de sucesso e reconhecida no mercado, é obrigatório cuidar da saúde dos colaboradores. Procure diminuir, ao máximo, as situações de tensão no ambiente profissional e tomar medidas de conscientização eficazes para prevenir doenças causadas pelo estresse. Você não vai se arrepender!

Se você gostou de conhecer os males causados pelo estresse, aproveite e aprenda como prevenir esse desgaste emocional dentro da sua empresa.