Blog da Beecorp

Estresse laboral
Saúde

Estresse laboral: descubra se sua equipe sofre desse mal

O estresse desencadeia uma série de reações no organismo humano. Hormônios, como a adrenalina e o cortisol, são liberados, as reservas de glicose são mobilizadas, as pupilas dilatam e os músculos são estimulados. Assim, quando ocorrem imprevistos, momentos de tensão ou quando há a sensação de ameaça, o indivíduo consegue reagir e lidar com os fatos.

Quando situações difíceis se tornam uma constante no cotidiano de alguém, o estresse deixa de ser uma condição normal e passa a ser um transtorno, como ressaltado por Esdras Vasconcellos, psicólogo da Universidade de São Paulo (USP):

É curioso como uma estratégia que nos ajuda a viver pode causar até a morte.

Isso se dá uma vez que o estresse provoca no indivíduo alterações físicas, psicológicas e desencadeia doenças que podem levar a pessoa ao óbito. Consequentemente, as atividades são prejudicadas, inclusive as laborais, e o indivíduo diminui sua capacidade produtiva.  

Segundo estatísticas da OMS (Organização Mundial de Saúde), o estresse atinge cerca de 90% da população mundial, sendo muito comum inclusive no ambiente de trabalho, o chamado estresse laboral. Confira neste artigo o que é estresse laboral e como identificar se sua equipe sofre desse mal.

Quais são os principais sintomas do estresse no ambiente laboral?

A identificação dos sintomas é o primeiro passo para detectar se os colaboradores estão sofrendo de estresse. Rubens Pitliuk, neuropsiquiatra do Hospital Albert Einstein, cita alguns desses sintomas que se deve prestar atenção.

  • Diminuição do rendimento;
  • Insatisfação;
  • Irritabilidade;
  • Indecisão;
  • Julgamentos errados;
  • Piora na organização;
  • Relatos de insônia e/ou sono agitado;
  • Falhas de concentração e memória;
  • Uso de finais de semana para colocar o serviço em dia;
  • Dedicação de cada vez mais tempo ao trabalho e menos ao lazer;
  • Diminuição de entusiasmo;
  • Cansaço;
  • Ganho ou perda de peso;
  • Baixa resistência, apresentada em infecções, gripes, herpes;
  • Pressão arterial alta;
  • Dores de cabeça, musculares e na coluna.

Entenda se o ambiente de trabalho é estressante

Os colaboradores chegam a passar de 8 a 10 horas por dia no ambiente de trabalho. Sendo assim, ficam boa parte de suas horas do dia na empresa, trabalhando e convivendo com os colegas de trabalho. Se o ambiente laboral for desfavorável e o clima organizacional ruim, a incidência de estresse entre os colaboradores possivelmente aumentará.


Myriam Durante, psicoterapeuta e presidente do IMPOM (Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente), ressalta que o trabalho é o principal causador de estresse no país. Uma pesquisa feita pelo Instituto demonstrou que:

  • A convivência com chefes e colegas agressivos ou mal-humorados é a principal causa de estresse entre os brasileiros;
  • O excesso de trabalho também está entre os principais motivos;
  • A pressão por resultados também é um forte motivador;
  • 43% dos entrevistados acham o ambiente de trabalho péssimo;
  • 65% já gostaram mais do que fazem e se sentem infelizes no trabalho.

Além dos aspectos interpessoais  e do clima organizacional, é importante também verificar se as condições físicas do ambiente de trabalho estão ou não favoráveis. Alguns aspectos que merecem atenção são:

  • Níveis de ruído: altos níveis de ruído podem provocar estresse mental e desencadear o estresse físico;
  • Iluminação: uma iluminação insuficiente ou excessiva também pode provocar estresse e outras doenças, como oftalmológicas e cefaleias;
  • Mobiliário: a falta de mobiliários adequados pode levar o trabalhador a executar suas atividades de maneira desconfortável e com uma postura incorreta, o que pode provocar dores, lesões, estresse físico e mental.

Mas como identificar situações que favorecem o estresse laboral?

Além de saber se o clima organizacional e o ambiente laboral estão provocando estresse, é preciso entender o cotidiano corporativo e verificar se ele está favorecendo a incidência de estresse.

Quando, por exemplo, há prazos muito curtos para tarefas muito complexas o trabalhador fica sob muita tensão. Se tal situação é uma constante em seu cotidiano a tensão diária logo evolui para o estresse, que por sua vez pode evoluir para outras doenças.

Condições como exigência de alcance de metas, que muitas vezes são intangíveis, excesso de cobrança, arbitrariedade na relação líder e liderado, falta de compreensão e flexibilidade são aspectos recorrentes no dia-a-dia empresarial, mas que exatamente por isso vão adoecendo aos poucos as pessoas.

Os responsáveis pela medicina do trabalho e saúde ocupacional precisam conscientizar os gestores sobre os perigos e consequências do estresse. Além de esclarecer como esse distúrbio está diretamente relacionado ao ambiente de trabalho.

E como reverter um quadro de estresse laboral?

O estresse é uma condição séria e que pode trazer consequências muito negativas para o colaborador e para a empresa. Várias doenças podem ser desencadeadas, como: ansiedade, depressão, doenças cardiovasculares, infarto, acidente vascular cerebral (AVC), hipertensão arterial, diabetes, lesões osteomusculares, entre outras.

O que pode impactar não só a saúde do colaborador, mas também prejudicar sua produtividade, afastá-lo do ambiente de trabalho e provocar insatisfação com o trabalho e com a empresa.

Portanto, a prevenção e o combate ao estresse dentro do ambiente corporativo é fundamental. Nesse sentido, podemos destacar algumas alternativas eficientes na área de bem-estar corporativo, que além de combaterem o estresse ainda aumentam a qualidade de vida e promovem saúde. Veja algumas alternativas:

Quick massage

É uma massagem rápida, com a duração aproximada de 8 a 10 minutos por sessão. A técnica é adequada ao ambiente de trabalho e é feita em uma cadeira confortável e própria para a atividade.

Além de prevenir e tratar o estresse, a quick massage também alivia tensões e trabalha as áreas do corpo mais acometidas pelas atividades laborais, como a região cervical, ombros, braços e antebraços, mãos e do dorso até a região lombar.

Atividades físicas

A prática de atividades físicas contribui para o aumento da liberação de hormônios como a dopamina e a serotonina, que promovem a sensação de bem-estar, ou seja, funcionam como um fator anti-estresse.

As atividades podem ser as mais variadas, de acordo com o interesse da equipe e da empresa, como por exemplo a ginástica laboral, academia corporativa, danças, yoga, grupos de corrida e caminhada, dentre outros.

Programa antiestresse

Através do monitoramento do estresse é possível analisar o nível de estresse dos colaboradores e quais são os fatores mais geradores dessa tensão. A partir desse diagnóstico, é possível definir as intervenções específicas para combate ao estresse. O trabalho pode ser feito em grupos ou individualmente e é baseado no princípio da coerência cardíaca.

Será que seus colaboradores sofrem do estresse laboral? Conte com a BeeCorp para identificar, prevenir e tratar esse mal. Somos especialistas em bem-estar corporativo e podemos ajudar sua empresa a melhorar a qualidade de vida e saúde dos colaboradores.