Blog da Beecorp

Humanização na saúde
Saúde

Humanização na saúde: entenda como aplicar na empresa

Durante muito tempo os cuidados com a saúde de uma pessoa foram voltados apenas para o seu bem-estar físico. Hoje, sabemos a importância dos aspectos psíquicos e sociais e que eles também precisam ser observados. Por isso, fala-se cada vez mais da humanização na saúde.

Com essa prática o indivíduo é visto em sua totalidade, considerando suas características e individualidades. E no meio empresarial não pode ser diferente. Essa humanização coloca o colaborador no centro dos cuidados, promovendo sua valorização e motivação.

Neste artigo explicaremos o conceito de humanização na área de saúde, a importância dela e como aplicar o conceito dentro da empresa. Continue lendo e veja como ter uma equipe mais saudável e engajada.

O que é humanização na área da saúde?

Em 2003 foi lançada a Política Nacional de Humanização (PNH), com o objetivo de oferecer um atendimento mais humanizado para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Também para incentivar uma melhor relação e interação entre os usuários, gestores e profissionais de saúde.

As diretrizes da PNH do Ministério da Saúde envolvem o acolhimento, para que o indivíduo seja ouvido pelos profissionais, recebendo o atendimento conforme prioridades. Também prevê a gestão participativa e a cogestão, bem como a valorização dos profissionais de saúde, incluindo-o nos processos de tomada de decisão.

Essa política de humanização na saúde envolve, ainda, a defesa dos direitos dos usuários, a ambiência, com a criação de espaços mais confortáveis acolhedores e saudáveis, além da implementação da clínica ampliada e compartilhada.

Nesse último caso o paciente recebe um atendimento individualizado, considerando suas características, singularidades e as particularidades da sua condição. Assim, o tratamento é holístico e personalizado.

Apesar de a PNH ter sido criada pelo SUS, suas diretrizes trazem uma base muito importante para as empresas. Afinal, aplicando esses conceitos, conseguimos atender as necessidades dos colaboradores considerando não apenas a doença, mas todo o contexto no qual eles estão inseridos. Assim, envolvemos seus aspectos físicos, sociais e psíquicos.

Qual a importância da humanização na saúde?

O cuidado com a saúde dos colaboradores dentro da empresa também precisa passar por um processo de humanização. Como você viu, não tratamos apenas o problema físico, mas olhamos para o indivíduo de uma forma completa, para que todas as suas necessidades sejam atendidas. Lembrando que fatores sociais e a saúde mental também influenciam o organismo.

Sendo assim, quando praticamos a humanização na saúde não proporcionamos apenas o reequilíbrio orgânico, mas garantimos mais qualidade de vida e bem-estar. Isso impacta de forma direta a relação do colaborador com a empresa, promovendo satisfação e, consequentemente, maior engajamento e motivação.

Satisfeitos e saudáveis, os profissionais apresentam uma melhor produtividade, além de reduzirem as taxas de absenteísmo e afastamento do trabalho. Não só os colaboradores saem ganhando, a empresa também alcança melhores resultados, incluindo a redução dos impactos financeiros que os desfalques provocam.

Como aplicar esse conceito dentro da empresa?

Uma vez que a humanização na saúde envolve cuidados de uma forma holística, uma excelente alternativa para começar é a oferta de um atendimento médico focado na atenção primária à saúde, ou apenas APS. Dessa forma, é possível oferecer cuidados primários aos trabalhadores, logo nas primeiras queixas, evitando que os problemas se agravem.

Além de disponibilizar um médico da família no ambulatório empresarial, o suporte psicológico também é um ponto muito importante. Como dito, a saúde mental influencia diretamente no organismo e, infelizmente, os transtornos mentais (como ansiedade, estresse, depressão e até mesmo a síndrome de Burnout) são cada vez mais comuns entre os trabalhadores.

Para alcançar resultados ainda melhores, é interessante desenvolver programas preventivos, com ações educativas e práticas. Eles podem envolver ações sazonais, como as campanhas voltadas para o câncer de mama e próstata ou o setembro amarelo, mas também devem contemplar atividades regulares como:

  • ioga;
  • mindfulness;
  • quick massage;
  • ginástica laboral;
  • grupos de corrida ou caminhada.

Essas ações promovem humanização na saúde atuando na prevenção de problemas e possibilitando um tratamento completo, quando necessário. A adoção dessa prática não só beneficia os colaboradores como também a empresa, que terá uma equipe saudável, engajada e produtiva, trazendo melhores resultados.

Como dissemos que a saúde mental do colaborador também requer atenção, faça o download gratuito deste e-book e veja como e por que as empresas devem agir nesse sentido.