Blog da Beecorp

Saúde Ocupacional

Como manter a saúde mental em meio ao estresse de trabalho?

Nos últimos meses diversas notícias chamaram nossa atenção para um tema que, quase sempre, não é abordado de forma eficiente: saúde mental. Doenças como a Depressão estão sendo abordadas em seriados como “Os 13 Porquês”, da Netflix.

Além disso, notícias relacionadas ao polêmico jogo da Baleia Azul, que induzia jovens a cometerem suicídio também chamaram a atenção da sociedade para a necessidade de debater a saúde mental com crianças e adolescentes.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil é o país mais depressivo da América Latina. Ainda de acordo com a OMS, em 2016 75 milhões de trabalhadores foram afastados de seus postos de trabalho pela doença em todo mundo.

Diante de um quadro tão preocupante, as empresas precisam começar a repensar a forma com que lidam com a doença. No início de 2017, uma funcionária de uma empresa norte-americana avisou sua equipe que iria faltar ao trabalho para cuidar de sua saúde mental. O CEO da empresa a parabenizou pela atitude, reconhecendo a importância do tratamento. A resposta do chefe viralizou nas redes sociais.

Este artigo vai ajudá-lo (a) a entender como sua empresa pode ajudar seus colaboradores a manterem práticas saudáveis para cuidar da saúde mental em meio ao estresse de trabalho. Vamos lá?

Afinal, o que é saúde mental?

Durante muitos anos o termo “doença mental” foi associado a níveis extremos de perda da consciência e autonomia, dando a entender que uma pessoa doente mental era, necessariamente, alguém que havia perdido completamente a lucidez. Por isso, o termo acabou ganhando conotação pejorativa, o que prejudica o tratamento.

Antes de mais nada, é importante lembrar que nossa mente faz parte do nosso corpo. Portanto, é parte de um conjunto biológico, formado por células, tecidos e órgãos, que podem adoecer por inúmeros motivos. Não há, portanto, razão para menosprezar a saúde mental.

Como sua empresa lida com o problema?

Da mesma forma com que as empresas possuem brigadas de incêndio e funcionários treinados para manter o ambiente de trabalho seguro, é importante que empresários comecem a pensar em formas de melhorar os postos de trabalho para evitar transtornos mentais, prezando pela saúde mental em meio ao estresse de trabalho.

Dependendo do segmento, essa tarefa exige mudança de postura da liderança. A forma com que um líder se comunica com seu profissional pode colaborar para um agravamento de um quadro de Ansiedade e Depressão, por exemplo.

Uma comunicação agressiva, além de caracterizar assédio moral, pode ser o estopim para que o colaborador comece a ver seu trabalho de forma negativa e, desse modo, associe ele a uma série de emoções ruins, o que acabará impactando sua saúde e suas atividades.

Não se trata de minimizar a liderança, fazendo com que ela se torne conivente com malfeitos, mas, sim, tornar o processo de feedback mais eficiente, fazendo com que ele solucione problema, em vez de criar mais equívocos.

Por isso:

1. Escolha os líderes com atenção

Dê ao processo de escolha de líderes a devida atenção. Esse profissional precisa merecer o posto, em caso de promoção, mas ele também deve ter o perfil para o cargo. Alguém conciliador, que consiga transmitir tarefas com clareza e cobrar com eficiência.

2. Prepare um treinamento

Ainda que o profissional tenha qualidades, é muito importante que a empresa o prepare para lidar com situações desafiadoras. Assim, ele poderá intervir no trabalho da equipe, sem que isso gere estresse e contribua para o agravamento de problemas de saúde dos funcionários.

Porém, quando o assunto é a saúde mental dos funcionários é importante que a empresa tome outras medidas. Vamos a elas:

Criar um protocolo para lidar com doenças mentais

É importante que a empresa entenda o que deve ser feito nesses casos, para estar preparada para lidar com questões burocráticas, como afastamentos.

Em alguns casos o profissional não possui vitalidade para lidar com as burocracias, em outros casos ele pode ter vergonha de assumir que precisa se afastar do posto de trabalho devido à doença.

Quando a empresa já tem um protocolo para lidar com essa situação, os profissionais de Recursos Humanos, por exemplo, já sabem orientar o trabalhador, usando termos que não o ofendam e dando agilidade a um processo de afastamento por saúde, o que, por si só, já é um alívio para alguém que sofre de alguma doença mental.

Inclua as doenças mentais nos primeiros socorros

Se por acaso um de seus colaboradores tivesse um infarto o que você faria? Do mesmo modo, questione-se se seu negócio está preparado para lidar com um profissional com dificuldades de respirar, devido a uma crise de ansiedade.

Como vimos neste artigo, as doenças mentais são cada vez mais comuns, por isso, é necessário saber como ajudar pessoas nessas condições enquanto a ajuda médica está a caminho.

Evite tratar o problema como algo exótico

Imagine a seguinte cena: uma pessoa tropeça e cai no trabalho, todos riem e, no dia seguinte ela se torna o assunto do horário de almoço. Constrangedor, não é mesmo?

Agora, imagine esse constrangimento tendo como causa uma crise de choro, de Ansiedade ou os resultados negativos de uma tarefa devido à Depressão. Em hipótese alguma incentive comportamentos que tratem as doenças mentais como algo exótico, que mereça atenção de toda a empresa. Isso inibe o doente de procurar ajuda e faz com que ele se sinta humilhado.

Não minimize as doenças

Confundir Depressão com tristeza, ou Ansiedade com nervosismo ainda é comum. No ambiente profissional essa tendência deve ser combatida com informação. Evite os erros mais comuns no trato das doenças mentais. Um deles é aconselhar as pessoas, minimizando as doenças. Dizer a alguém deprimido que o que ela tem “não é nada” não consegue curá-la da doença, apenas a ofende.

Por se tratarem de vícios de linguagem, é importante que gestores reavaliem os termos utilizados, com o objetivo de construir uma comunicação mais respeitosa e empática.

Respeite os horários de pausa

Oriente os colaboradores a aproveitarem suas pausas para descansarem, evitando que levam tarefas do trabalho para fazerem nesses horários, pois essa prática não permite que o descanso e estressa.

O horário de almoço deve ser usado para saborear uma agradável refeição, e não para debater relatórios. Desse modo, após as pausas, o colaborador volta ao posto relaxado e mais disposto.

Evite o uso de redes sociais na empresa

Existem muitos artigos científicos demonstrando que existe uma relação entre o uso de redes sociais e doenças mentais. Levando em consideração que os colaboradores passam cerca de oito horas no trabalho, esse período pode ser usado para evitar o contato com esses sites.

Além disso, em um momento de intensa polarização política no Brasil, as redes sociais podem fazer com que colegas de trabalho, que pensem de forma distinta desentendam-se. O que acaba contribuindo para um local agressivo e propício para a incidência de doenças mentais.

Ademais, bloquear o acesso a esses sites podem ajudar os profissionais a tornarem-se mais produtivos, melhorando sua autoestima.

Crie um programa de incentivos

Mostrar aos seus funcionários que eles são valorizados fará com que eles se sintam melhores enquanto profissionais. Isso ajuda-os a associarem à empresa a aspectos positivos, o que contribui com a saúde mental.

Dessa forma, é possível minimizar a carga negativa de uma meta que precisa ser batida, ou de um projeto com prazo apertado. Atente-se, apenas, ao fato de que essa iniciativa tem como objetivo valorizar os profissionais e não incentivar a competitividade destrutiva.

Incentive a gratidão

É comum que os trabalhadores vejam apenas pontos negativos da empresa, como se o trabalho fosse o responsável pelos seus problemas. Busque mostrar o quanto o emprego pode ajudá-los a alcançar metas pessoais. Converse com profissionais com mais tempo de casa para buscar casos de pessoas que tiveram suas vidas transformadas positivamente pela empresa.

Olhar o mundo com gratidão faz com que o estresse diminua, melhorando o quadro de pessoas com doenças mentais. Esse é um exercício comum, proposto por psicólogos.

Incentive a meditação

A prática meditativa vem sendo incentivada nos últimos anos devido aos resultados de estudos que comprovam sua eficácia no tratamento de doenças mentais.

Especialistas sugerem que são necessários apenas cinco minutos de prática diária para que resultados positivos sejam observados. Disponibilizar esse tempo para que os profissionais meditem pode ajudar a melhorar a produtividade da equipe, fazendo com eles consigam se livrar de experiências negativas do trabalho.

Existem muitos vídeos de meditação guiada na internet que podem ser ouvidos em grupo.

Estimule hábitos saudáveis

A alimentação tem um papel importante no tratamento de doenças mentais. Um dos sintomas de Depressão é a alteração no apetite. Sabendo que todos os nutrientes que nosso corpo precisa são obtidos por meio daquilo que comemos, é interessante que a empresa inclua em seu cardápio refeições saudáveis.

Além de ajudar a melhorar a saúde mental, essa prática poderá reduzir a incidência de outras doenças, como Pressão Alta e Diabetes.

Outra dica é incentivar práticas esportivas, como o alongamento. Dedique cerca de trinta minutos, algumas vezes por semana, para que seus colaboradores realizem tais práticas.

Como vimos, a saúde mental é um assunto sério, que precisa de atenção das empresas, afinal, essas doenças estão afetando a realidade profissional de milhões de pessoas em todo o mundo.

Cabe aos gestores buscarem uma prática mais saudável e eficaz no trato desse tema. Agora, que tal ficar bem informado com as novidades do setor empreendedor? Você sabia que o WhatsApp está testando contas verificadas para empresas? Entenda tudo neste post!