Blog da Beecorp

reeducação alimentar
Saúde

Reeducação alimentar no ambiente de trabalho: é possível?

A população brasileira vive uma situação alarmante quando o assunto é obesidade e doenças crônicas. Segundo a Organização Mundial de Saúde, já somos o segundo país com maior índice de obesidade. E de acordo com o Ministério da Saúde, 30 milhões de brasileiros têm hipertensão arterial, 9 milhões são diabéticos e em 2013 tivemos mais de 339 mil mortes por doenças cardiovasculares registradas no país.

A má alimentação é uma das principais causas das doenças citadas. Somada à hábitos de vida ruins, como o sedentarismo e à predisposição genética, a probabilidade de incidência dessas doenças aumenta consideravelmente. Apesar de nosso país dispor de uma grande variedade de frutas e verduras, alimentos que são muito saudáveis e essenciais na alimentação, a ingestão desses é muito baixa pela população. Segundo a pesquisa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) sobre o consumo de frutas e hortaliças no país, apenas 18,2% dos brasileiros ingerem a quantidade de frutas recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 400 gramas por dia.

Os adultos em idade ativa passam cerca de 8 horas diárias trabalhando. Assim, boa parte da alimentação é feita durante a jornada laboral. Portanto, o ambiente de trabalho se faz um local ideal para promover ações de reeducação alimentar que garantirão mais saúde e mais produtividade ao colaborador. O conhecimento adquerido no ambiente de trabalho é transformador e faz com que as pessoas coloquem em prática os hábitos fora da empresa, os tornando parte de suas vidas. Quer entender mais como isso é possível? Acompanhe com a gente.

Afinal, o que é a reeducação alimentar?

A reeducação alimentar parte do princípio que o indivíduo foi educado, ao longo da vida, com hábitos alimentares diversos e não necessariamente adequados. Os hábitos e preferencias alimentares são formados ainda na gestação e após o nascimento vão se consolidando. O ambiente influencia muito a formação e a aquisição de hábitos alimentares e em geral, as pessoas se alimentam muito mal. Por consequência, é necessária uma reeducação alimentar. Segundo a especialista em qualidade de vida na empresa, Márcia Martino:

“A reeducação alimentar consiste em um processo de mudança comportamental, no qual ocorre uma modificação nos hábitos alimentares das pessoas. A perda de peso é a primeira consequência desse processo, já que uma alimentação balanceada passa a substituir hábitos errados como a ingestão de elevados índices de gordura e açúcar”.

Dessa forma, a reeducação alimentar não se trata de uma simples consulta com nutricionistas, é um processo completo e transformador que modifica a maneira de se alimentar, a relação com os alimentos e a escolha dos mesmos.

Como promover a reeducação alimentar na empresa?

A reeducação alimentar é de fácil aplicação no ambiente corporativo. Afinal, os colaboradores já estão ali e é um assunto que os interessa muito,  assim as ações têm grande envolvimento de todos. A primeira etapa, normalmente, consiste no diagnóstico nutricional dos colaboradores. É feita uma análise nutricional completa e individual, avaliando fatores como:

  • Peso;
  • Altura;
  • Percentual de gordura ;
  • Percentual de massa muscular;
  • Índice de Massa Corporal (IMC);
  • Estado nutricional geral;
  • Ingestão alimentar;
  • Presença de doenças crônicas;
  • Função Intestinal;
  • Entre outros.

Após o diagnóstico,a nutricionista fará orientações de acordo com as necessidades do colaborador, a partir dos conceitos de grupos alimentares, como: energéticos (carboidratos), construtores (proteínas), reguladores (frutas e verduras) e energéticos extras (óleos, gorduras e açúcares) para conscientizar o trabalhador e ajudá-lo a fazer as adaptações necessárias em sua alimentação.

Posteriormente, uma vez por mês, haverá um novo encontro e novas orientações serão passadas, segundo os grupos alimentares. Geralmente, esse processo dura cerca de 6 meses, assim o colaborador passa por um trabalho intenso e construtivo para aprender mais sobre alimentação, se conscientizar e obter o apoio necessário para modificar seus hábitos alimentares. 

Promova também atividades coletivas

Durante o processo de reeducação alimentar, é comum que o profissional responsável perceba a incidência de distúrbios e doenças comuns entre os colaboradores, como: sobrepeso, obesidade, hipertensão arterial (“pressão alta”), diabetes, hipercolesterolemia (“colesterol alto”), dentre outros. Nesse caso, é interessante promover também atividades coletivas, como palestras e intervenções temáticas. Essas atividades são muito efetivas, pois promovem o envolvimento de toda a equipe, as pessoas se ajudam e percebem que não estão sós para enfrentar a situação.

Temas de relevância podem ser trabalhados, como:

  • Importância de uma alimentação saudável;
  • Alimentação e doenças crônicas;
  • Perigos da alta ingestão de açúcar e de sódio;
  • Fracionamento das refeições durante o dia;
  • Perigos de jejuns prolongados;
  • Alimentação e cognição: alimentos importantes para memoria, raciocino e concentração;
  • Alimentação como forma de prevenção de doenças e aumento do sistema imunológico;
  • Como se alimentar bem fora de casa;
  • Alimentação saudável com baixos custos;
  • Como se alimentar bem no trabalho.

Os temas relacionados a alimentação são abrangentes e bem variados e podem ser trabalhados de uma maneira bem lúdica e interessante, através de dinâmicas, palestras interativas, jogos, entre outros.

Quais são as vantagens para o colaborador?

A reeducação alimentar promove a adoção de hábitos alimentares saudáveis que impactam diretamente na saúde e bem-estar dos colaboradores. Afinal, com uma nutrição melhor do corpo, o sistema imunológico se fortalece e previne-se doenças, além dos benefícios físicos, como a redução de peso, e os benefícios psicológicos, como a redução de estresse e de ansiedade e o aumento de ânimo e motivação. A especialista em qualidade de vida no trabalho, Márcia Martino diz que:

“Vale destacar que além da perda de peso há outras vantagens provenientes da adoção de uma alimentação saudável, tanto no âmbito físico como no psicológico. Podemos citar o controle de doenças e a melhoria da imagem corporal, respectivamente”..  

E para a empresa?

A promoção de uma reeducação alimentar corporativa é extremamente interessante, pois ao ser feita coletivamente os colaboradores se ajudam e são motivados um pelos outros  a passarem juntos pelos desafios que a mudança de hábito pode conferir. Isso facilita a adesão ao programa, traz motivação e promove a integração da equipe.

Além disso, a adoção de hábitos alimentares saudáveis aumenta o ânimo e a disposição dos colaboradores,  que sentem-se cuidados pela empresa e ficam mais satisfeitos. Aumenta também a concentração, o raciocínio e a memória, assim como combate o estresse, melhorando o rendimento do colaborador e reduzindo os índices de presenteísmo. E com o fortalecimento de sua saúde, reduz os adoecimentos e afastamentos. Todos esses fatores interferem diretamente na  melhora da produtividade.

A conscientização dos colaboradores

Durante o processo de reeducação alimentar, os colaboradores são orientados para criarem uma conscientização da adoção de hábitos alimentares saudáveis. Essa compreensão é fundamental para que eles apliquem o aprendido também fora do ambiente de trabalho e por toda a vida.

Muitas empresas vêm adotando a reeducação alimentar como estratégia para promover o bem-estar corporativo. A FIAT, por exemplo, oferece um programa de Nutrição e Saúde que proporciona um acompanhamento nutricional aos seus colaboradores. Além dos benefícios estéticos, o programa melhora, de forma integral, a qualidade de vida e saúde dos participantes.

Além disso, é interessante aliar essa reeducação alimentar à implementação de ações de promoção da atividade física, como academias corporativas, grupos de corrida, entre outras. Assim, trabalha-se a alimentação saudável aliada ao combate ao sedentarismo, potencializando os resultados. Como são inúmeros os benefícios para os colaboradores e para as próprias empresas, elas estão percebendo que o investimento vale a pena e traz retornos muito positivos.

A implantação de um programa de reeducação alimentar corporativo deve estar aliada ao monitoramento e a mensuração de resultados. A BeeCorp oferece todas essas possibilidades para a sua empresa. Então, que tal conversar com a gente e implantar esse programa na sua empresa?

Gostou do nosso artigo? Compartilhe!

agende uma conversa gratuitamente