Hérnia de disco: o que você precisa saber sobre essa lesão

Hérnia de disco: o que você precisa saber sobre essa lesão
O que é?
O que provoca? Causas
Sintomas
Diagnóstico e exames
Prevenção
Tem cura?
Tratamento
Como um especialista em coluna pode ajudar?
Categoria: Saúde

A hérnia de disco é uma lesão causada pela projeção do material gelatinoso, que forma o núcleo do disco intervertebral, para fora de sua posição normal. Esse problema de saúde pode ser debilitante e desencadeado a partir dos riscos ergonômicos no trabalho, por exemplo. Os sintomas de hérnia de disco mais comuns incluem dor intensa na região afetada e formigamento ou fraqueza nos membros.

Uma compreensão adequada dos fatores de risco, tratamento e prevenção pode ajudar os indivíduos a gerenciar de forma eficaz essa condição e melhorar sua qualidade de vida.

Por isso, confira também nosso material exclusivo:

Se você deseja entender um pouco mais sobre esse assunto, exploraremos em detalhes o que é hérnia de disco, suas causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção.

O que é hérnia de disco?

A hérnia de disco é uma condição médica em que ocorre a protrusão ou ruptura do disco intervertebral. Este disco é uma estrutura localizada entre as vértebras da coluna vertebral.

O disco possui um núcleo que contém um líquido viscoso. Este serve para amortecer e proteger as vértebras das pressões do dia a dia. É a saída desse líquido que se chama hérnia de disco.

A hérnia de disco pode causar compressão de nervos adjacentes, levando a sintomas como dor, formigamento, fraqueza muscular e, em alguns casos, até mesmo comprometimento da função nervosa.

Essa condição é comum e pode afetar diferentes partes da coluna, como a região cervical (pescoço), torácica (meio das costas) ou lombar (parte inferior das costas).

O que provoca a hérnia de disco? Causas

A hérnia de disco pode ser provocada por uma variedade de fatores, incluindo:

  • Degeneração natural: à medida que os discos intervertebrais envelhecem, eles podem naturalmente se deteriorar, perder a elasticidade e se tornar mais propensos a herniações;
  • Estresse e tensão muscular: aumentam a pressão sobre a coluna e os discos, contribuindo para o desenvolvimento da hérnia ou agravamento dos sintomas;
  • Fatores hereditários: características genéticas podem aumentar a probabilidade de desenvolver problemas na coluna vertebral;
  • Má postura: posturas inadequadas durante atividades cotidianas ou laborais podem colocar pressão adicional sobre os discos intervertebrais, contribuindo para o seu desgaste e eventual ruptura;
  • Movimentos repetitivos: certas atividades que envolvem movimentos repetitivos da coluna, como levantamento de peso incorreto ou torções frequentes, podem aumentar o risco de hérnia de disco;
  • Obesidade: o excesso de peso pode sobrecarregar a coluna vertebral, aumentando a pressão sobre os discos intervertebrais e aumentando o risco de desenvolvimento da lesão;
  • Trauma: quedas, acidentes automobilísticos ou lesões esportivas, podem causar danos aos discos intervertebrais e levar à formação de hérnias.
A exaustão física e mental pode ser causadora da febre! Confira este guia sobre como evitá-la

O que faz a hérnia de disco piorar?

Além das causas que já citamos, existem alguns fatores que podem agravar a hérnia de disco, tais como:

  • Estresse emocional: pode aumentar a tensão nos músculos das costas, agravando a dor associada à hérnia;
  • Fatores ambientais: ambientes de trabalho ou domésticos inadequados, como cadeiras desconfortáveis, colchões ou posições de sono inadequadas, podem piorar os sintomas;
  • Sedentarismo: a falta de atividade física adequada pode enfraquecer os músculos ao redor da coluna vertebral, tornando-a mais suscetível a lesões e contribuindo para o agravamento da hérnia. Vale a pena participar de atividades como a ginástica laboral;
  • Sobrecarga: levantar objetos pesados, especialmente com má postura, pode aumentar a pressão sobre os discos intervertebrais, exacerbando a protrusão do disco;
  • Tabagismo: pode afetar a saúde dos discos intervertebrais, reduzindo sua elasticidade e capacidade de se regenerar.

Sintomas da hérnia de disco

Os sintomas da hérnia de disco podem variar dependendo da localização da lesão e da gravidade do problema. Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Dor: a dor é um sintoma predominante e pode variar de leve a intensa. Ela geralmente é sentida na região afetada pela hérnia de disco, como pescoço, parte superior ou inferior das costas ou pode irradiar para outras partes do corpo, seguindo o caminho dos nervos afetados;
  • Movimento limitado: além da dor, pode haver dificuldade em realizar certos movimentos, como dobrar, inclinar-se ou levantar-se;
  • Formigamento: pode ocorrer sensação de formigamento ou dormência em áreas adjacentes à hérnia de disco, como braços, mãos, pernas ou pés;
  • Fraqueza muscular: a compressão dos nervos pode dificultar atividades como segurar objetos, caminhar ou subir escadas.

Além disso, muitos sintomas se agravam em situações como: realizar atividades físicas, ficar em uma posição por muito tempo, tossir, espirrar e, até mesmo, rir.

Como é a dor de quem tem hérnia de disco?

A dor experimentada por alguém com hérnia de disco pode variar em intensidade e características, dependendo da localização da hérnia e dos nervos afetados.

Costumeiramente, a dor da hérnia de disco pode ser latejante e ser acompanhada de uma sensação de queimação, fisgada ou mesmo uma sensação de peso na região afetada.

Ela pode ser aguda, ou seja, repentina e intensa após um movimento específico, ou ainda crônica, do tipo que persiste ao longo do tempo. Além disso, a dor da hérnia também pode ser apenas no local da lesão ou irradiada para outras áreas do corpo.

Muitas pessoas que possuem hérnia de disco acabam sofrendo com fortes dores nas costas que podem até levá-las ao afastamento do trabalho.

Dados de 2021 do Ministério do Trabalho afirmam que mais de 55 mil trabalhadores pediram afastamento por conta de dores nas costas apenas nos primeiros 6 meses daquele ano. Foi o segundo maior motivo de pedidos de dispensa, perdendo apenas para Covid-19.

Diagnóstico e exames

O diagnóstico de hérnia de disco geralmente começa com uma avaliação médica completa, incluindo histórico clínico e exame físico.

No entanto, para confirmar o diagnóstico e avaliar a gravidade da lesão, podem ser realizados os seguintes exames:

  • Eletroneuromiografia: este exame avalia a função dos nervos periféricos e dos músculos, ajudando a determinar se a hérnia de disco está afetando a condução nervosa e causando fraqueza muscular;
  • Ressonância magnética: é o exame mais comum e preciso para diagnosticar, pois fornece imagens detalhadas das estruturas da coluna vertebral;
  • Radiografia: embora menos comum, pode-se utilizar os raios-X para descartar outras condições que causam sintomas semelhantes aos da hérnia;
  • Tomografia computadorizada: pode-se usar este exame como complementar à ressonância ou quando esta não é viável.

Com base nos resultados desses exames, o médico pode confirmar o diagnóstico. Dessa forma, é possível elaborar um plano de tratamento adequado para gerenciar os sintomas e promover a recuperação.

Quando a hérnia de disco é grave?

A hérnia de disco é considerada grave quando há compressão significativa dos nervos espinhais ou da medula espinhal. Dessa forma, ela resulta em sintomas graves e incapacitantes.

Além disso, a hérnia de disco grave também pode causar fraqueza muscular significativa, perda de sensibilidade, dormência ou formigamento persistente em uma ou ambas as pernas.

Se o paciente tiver dificuldade de realizar atividades diárias, como andar, levantar objetos ou controlar funções da bexiga e intestino, isso também pode indicar uma situação grave. Dor que não responde ao tratamento conservador ou ainda, agravamento dos sintomas, também é um problema.

Por fim, se a hérnia de disco causar uma redução significativa na qualidade de vida do indivíduo, impedindo-o de realizar atividades normais e interferindo em suas relações pessoais e profissionais, isso pode indicar uma situação grave.

Prevenção

Aqui estão algumas estratégias para prevenir a hérnia de disco:

Evitar movimentos repetitivos

Evite movimentos repetitivos que possam sobrecarregar a coluna vertebral, como torções e inclinações frequentes.

Sendo assim, varie os tipos de atividades praticadas no dia a dia e use técnicas adequadas para levantar pesos, sempre com a postura correta.

Se você estiver envolvido em atividades como digitar no computador, por exemplo, considere usar dispositivos de auxílio, como suportes para os pulsos, para reduzir a tensão sobre os músculos e articulações.

Manter-se ativo

Evite o sedentarismo, ou ainda passar longos períodos sentado ou em pé na mesma posição. Faça pausas regulares durante o trabalho para alongar-se e movimentar-se.

Pratique exercícios físicos, fortalecendo e alongando os músculos das costas e do abdômen. Isso ajuda a manter a estabilidade e a flexibilidade da coluna.

Também procure manter um peso saudável, pois isso ajuda a reduzir a carga sobre a coluna vertebral. Assim, você diminui o risco de lesões e desgaste dos discos intervertebrais.

Além disso, se for praticar esportes, faça-o de forma segura, utilizando técnicas adequadas e equipamentos de proteção para evitar lesões na coluna vertebral.

Manter uma postura correta

Mantenha uma postura adequada ao sentar, ficar em pé e levantar objetos. Evite curvar a coluna e opte por erguer objetos com os joelhos flexionados.

Ao sentar, mantenha os pés apoiados no chão ou em um suporte para os pés, joelhos nivelados com os quadris e os ombros relaxados. Mantenha a coluna vertebral ereta, com as costas bem apoiadas no encosto da cadeira.

Ao ficar em pé, distribua o peso do corpo uniformemente pelos dois pés. Mantenha os ombros relaxados e os abdominais contraídos para oferecer suporte à coluna vertebral. Evite travar os joelhos e mantenha-os levemente flexionados.

Parar de fumar

Parar de fumar pode ter benefícios significativos para a saúde da coluna vertebral e pode ajudar na prevenção de condições como hérnia de disco.

O tabagismo pode afetar negativamente os discos intervertebrais e contribuir para o desenvolvimento de problemas na coluna vertebral de várias maneiras, tais como:

  • Aumento da inflamação;
  • Diminuição da elasticidade dos discos;
  • Redução da circulação sanguínea.

Hérnia de disco tem cura?

A questão da cura da hérnia de disco é complexa e depende de vários fatores. Destes, inclui-se a gravidade da lesão, os sintomas apresentados e a resposta ao tratamento.

No entanto, mesmo após o tratamento, algumas pessoas podem ainda experimentar sintomas recorrentes. Portanto, a hérnia de disco pode não ter uma “cura” definitiva em todos os casos.

Dessa forma, muitas vezes, é possível apenas gerenciar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. Para isso, é necessário um tratamento adequado e a adoção de um estilo de vida saudável.

Tratamento

Geralmente, o tratamento pode incluir fisioterapia, com exercícios de fortalecimento muscular, alongamento e técnicas de correção postural.

Também é possível utilizar medicamentos como analgésicos, anti-inflamatórios não esteroides, relaxantes musculares e em alguns casos, corticosteróides.

O repouso também é necessário, já que pode ajudar a reduzir a inflamação e aliviar os sintomas da hérnia de disco. Evitar atividades que exacerbam a dor é fundamental durante o período de recuperação.

Por fim, a mudança de hábitos na vida e no trabalho, com uma alimentação saudável, exercícios regulares e os cuidados que citamos acima vão favorecer a diminuição dos sintomas e a melhora no quadro da doença.

Cirurgia

Pode-se considerar a cirurgia se os sintomas persistirem apesar do tratamento conservador ou se houver sinais de compressão nervosa grave. Existem várias opções de cirurgia para hérnia de disco, incluindo:

  • Discectomia: remove-se o disco herniado parcial ou totalmente;
  • Microdiscectomia: uma versão minimamente invasiva da discectomia, onde o disco herniado é removido com a ajuda de um microscópio;
  • Fusão espinhal: em casos mais complexos, pode ser necessária a fusão de duas ou mais vértebras adjacentes para estabilizar a coluna vertebral após a remoção do disco herniado;
  • Artroplastia: em alguns casos, pode-se substituir o disco herniado por uma prótese artificial para restaurar a sua altura e função.

Como um especialista em coluna pode ajudar?

Um especialista em coluna pode desempenhar um papel crucial no diagnóstico, tratamento e manejo da hérnia de disco. Este pode ser um ortopedista especializado em cirurgia da coluna ou um neurocirurgião.

Afinal, através destes profissionais pode-se ter um diagnóstico preciso, utilizando exames clínicos, testes de imagem e histórico médico detalhado.

São eles também que vão trabalhar na elaboração de um tratamento personalizado que atenda às necessidades específicas de cada paciente, considerando fatores como gravidade dos sintomas, localização da hérnia e saúde geral.

Em resumo, um especialista em coluna desempenha um papel fundamental no cuidado abrangente e eficaz da hérnia de disco, ajudando os pacientes a gerenciar os sintomas, recuperar a funcionalidade e melhorar a qualidade de vida.

É importante procurar a orientação de um especialista em coluna qualificado ao lidar com problemas na coluna vertebral, incluindo hérnia de disco. Assim você garante o melhor resultado possível.

Uma das atitudes mais importantes é mudar as práticas do dia a dia, melhorando o bem-estar. Acesse agora o Kit de Práticas de Qualidade de Vida da BeeCorp.

BLOG DA BEECORP
Você também pode se interessar
Saúde
Nutrólogo: quando procurar este profissional?

Nutrólogo: quando procurar este profissional? Por: Douglas Lemos

O nutrólogo é o especialista que auxilia as pessoas a terem mais equilíbrio na saúde por meio da alimentação. Trabalha com reeducação alimentar, mantendo o foco na prevenção e...
Saúde
Endocrinologista: o que esse médico trata e quando devo procurá-lo?

Endocrinologista: o que esse médico trata e quando devo procurá-lo? Por: Douglas Lemos

Você já se perguntou para que serve um endocrinologista? Esse profissional da saúde desvenda os mistérios do nosso sistema endócrino, que é responsável por regular uma grande quantidade de...
Saúde
Hérnia de disco: o que você precisa saber sobre essa lesão

Hérnia de disco: o que você precisa saber sobre essa lesão Por: Christine Ornelas

A hérnia de disco é uma lesão causada pela projeção do material gelatinoso, que forma o núcleo do disco intervertebral, para fora de sua posição normal. Esse problema de...
Saúde
Pressão baixa: entenda como agir, sintomas e causas

Pressão baixa: entenda como agir, sintomas e causas Por: Christine Ornelas

Quando a pressão arterial se encontra abaixo dos valores considerados normais, ou seja, 9 por 6, estamos diante do que é clinicamente conhecido como pressão baixa ou hipotensão arterial,...
Saúde
Saúde coletiva: o que é, como promovê-la e atuações profissionais

Saúde coletiva: o que é, como promovê-la e atuações profissionais Por: Anderson Rodrigues

A promoção da saúde coletiva é resultado de um pensamento sistêmico relacionado à saúde da população no geral. A partir disso, um estudo abrangente investiga as doenças mais comuns...
Saúde
CID 10: o que é, como consultar, códigos e classificações

CID 10: o que é, como consultar, códigos e classificações Por: Anderson Rodrigues

A CID 10 é uma lista de códigos que classifica doenças e condições médicas em categorias. O objetivo é padronizar a nomenclatura das patologias para facilitar a identificação delas...
Saúde
Lombalgia (dor lombar): causa, sintomas, diagnóstico e tratamento

Lombalgia (dor lombar): causa, sintomas, diagnóstico e tratamento Por: Alice Araujo

Se você nunca teve lombalgia, certamente conhece alguém que já sofreu por causa dela. Segundo estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde), nada menos que 80 a cada 100...
Saúde
Febre: o que é, causas, sintomas e mais!

Febre: o que é, causas, sintomas e mais! Por: Anderson Rodrigues

A febre é uma alteração comum associada a várias doenças. Infecções, estresse, viroses, entre outros problemas de saúde, como dor de cabeça intensa, podem ocasionar o aumento da temperatura...
Saúde
Ansiedade: quais são os sintomas e como controlar

Ansiedade: quais são os sintomas e como controlar Por: Paola Sobral

Essa sensação natural é um estado de angústia caracterizado pela sensação de medo, insegurança e incerteza. A ansiedade desencadeia diversos sintomas, como excesso de preocupação, pensamento acelerado, insônia, fobias,...
SOLUÇÕES EM DESTAQUE
Qualidade de vida, Saúde e Ergonomia
Preparado para transformar pessoas e negócios?
O investimento em saúde, segurança e qualidade de vida impacta diretamente nos resultados da sua organização.
Fale com nossos especialistas
x

Solicite uma proposta







    Assine nossa newsletter

      Autor
      Christine Ornelas

      Analista de Marketing | Jornalista

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

      Fale com consultor!

      Fale com um consultor

        Cadastrar currículo