Conhecendo a prática da ginástica laboral preparatória

Colaboradores corporativos praticando ginástica laboral
Por: Douglas Araújo

Quando se trata de segurança no trabalho, é muito comum pensarmos nos equipamentos que fazem a proteção dos trabalhadores, mas não podemos nos esquecer que o modo como as atividades são realizadas, as posturas e movimentos podem colocar a integridade desses profissionais em risco. Para evitar que aconteça, existe a ginástica laboral preparatória.

Essa técnica ajuda a preparar o corpo para o trabalho. Somada a outros tipos de ginástica laboral, ajuda a evitar condições físicas que favorecem doenças e problemas. Também contribui para minimizar o estresse, a ansiedade e tensões emocionais.

Estimular essa prática faz toda a diferença para garantir o bem-estar e a produtividade do time. Então, preparamos este artigo para que você aprenda um pouco mais sobre o tema e saiba como aplicar essa ação em sua empresa. Acompanhe!

O que é ginástica laboral preparatória?

A saúde do trabalhador é um tema que vem ganhando cada vez mais relevância. Embora o debate seja intenso, ainda existe um longo caminho a ser trilhado porque a ocorrência de problemas relacionados ao trabalho continua crescendo. 

Segundo o estudo Saúde Brasil 2018, realizado pelo Ministério da Saúde, houve um aumento de 184% da ocorrência de Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e de Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Logo, as medidas preventivas precisam ser aplicadas com mais rigor.

ginástica laboral preparatória é uma grande aliada da prevenção. Consiste no conjunto de exercícios que são elaborados visando a preparar o corpo para o trabalho. Ela pode ser feita de forma generalizada ou específica para cada função e trabalhador.

Esse tipo de ginástica envolve movimentos que ajudam a indicar para o corpo que está na hora de trabalhar. São realizados exercícios, como os de alongamento, que aquecem e trazem flexibilidade para os músculos e as articulações. Com isso, evitamos que eles sejam lesionados por não estar preparados para as tarefas que serão realizadas.

Consiste em uma técnica que deve ser aplicada todos os dias. Como você viu, atua como uma medida preventiva para garantir a segurança e a integridade do colaborador. Logo, por meio dela, prevenimos lesões e garantimos mais disposição, fazendo com que o trabalho não gere sobrecarga para o corpo.

Quais são os tipos de ginástica laboral?

Como explicamos, na ginástica laboral preparatória, vamos programar o corpo de cada trabalhador para desempenhar as suas funções, por isso, ela é uma prática diária. Apresenta um melhor resultado quando direcionada de acordo com as funções que serão exercidas.

Assim, podemos aplicar técnicas e exercícios que preparam para atividades de força, resistência ou velocidade. Tendo esse foco, fica mais fácil criar séries com bons efeitos para o profissional, uma vez que ativam seu corpo exatamente para aquilo que fará durante seu expediente.

No entanto, não podemos nos esquecer que, ao longo do dia, podem surgir tensões, cansaços e dores. Diante disso, não basta praticar apenas a ginástica laboral preparatória. Também precisamos incentivar a execução dos demais tipos de ginástica laboral: a compensatória e a de relaxamento.

Eles se complementam porque, com a preparatória, preparamos o corpo para as tarefas, com a compensatória, oferecemos pequenas pausas para recompor o físico. Por fim, com a de relaxamento, aliviamos a tensão acumulada durante todo o expediente.

Como você já aprendeu sobre a preparatória, a seguir, falamos mais a fundo sobre os outros dois tipos de ginástica laboral.

Ginástica Laboral Compensatória

Qualquer atividade pode causar desconfortos e cansaços, então, todo trabalhador deve realizar a ginástica laboral compensatória ao longo do expediente. Ela é feita em pequenas pausas estratégicas para aliviar a tensão.

O objetivo da ginástica laboral compensatória é minimizar o estresse da musculatura e das articulações, ativar a circulação sanguínea e relaxar os olhos e a mente. Tudo isso, dependendo da atividade realizada por cada colaborador.

Sua execução, como dito, é estratégica, realizada em pausas após determinado período de trabalho. São necessários apenas de 10 a 20 minutos para fazer exercícios de alongamento de uma forma mais localizada, trabalhando as partes do corpo que fazem mais esforço.

Essas paradas também são importantes para tirar um pouco o foco do trabalhador, desviar a atenção das tarefas. Ajuda a evitar o cansaço mental, reduzindo estafa e ansiedade. Ao retornar dessa pausa, o trabalhador estará descansado e mais atento, o que garante não só a sua segurança, como também, a produtividade.

Ginástica Laboral de Relaxamento

Para complementar a ginástica laboral preparatória e a compensatória, no final do expediente, é importante que o trabalhador faça o relaxamento. Como o nome indica, essa variação é aplicada com o objetivo de relaxar todo o corpo para eliminar a tensão acumulada ao longo do dia.

O ideal é que sejam realizados exercícios leves, mais uma vez, para alongar a musculatura, e que possibilitem à mente iniciar o processo de descanso. Devem ser movimentos agradáveis. Vale focar as partes do corpo mais sobrecarregadas, mas não podemos nos esquecer do restante dele, pois é preciso relaxar por completo.

Com isso, evitamos que o trabalhador vá para casa sentindo dores, desconfortos ou com a musculatura tensa. Ele conseguirá ter uma boa noite de sono e o seu organismo estará recomposto para o dia seguinte.

Como praticar a ginástica laboral?

Tanto a ginástica laboral preparatória quanto a compensatória e a de relaxamento têm como foco a prevenção. Por isso, é importante elaborar treinos que estejam de acordo com as atividades realizadas em sua empresa.

Por meio de uma análise de risco e de um estudo ergonômico, fica ainda mais fácil definir quais exercícios são ideais para o seu time. Inclusive, eles podem ser aplicados nos diferentes setores da sua empresa, conforme as necessidades dos grupos.

Por exemplo: os profissionais que atuam na parte administrativa estão sob riscos diferentes daqueles que trabalham na linha de produção, dos que atuam na limpeza e todos os demais. Logo, é válido pensar na personalização para alcançar melhores resultados.

Antes do expediente, podemos trabalhar exercícios que vão ativar as funções orgânicas e trazer flexibilidade para os músculos. É o caso dos alongamentos gerais, da flexão de pescoço, técnicas de respiração e contração do abdômen.

Durante o expediente, na realização da ginástica compensatória, vale focar as partes do corpo que são mais exigidas. Aqueles que trabalham sentados, por exemplo, sentem muitas dores na coluna e nas pernas. Alongar essas duas partes do corpo é essencial.

Convém alongar o pescoço, os braços e os ombros, em especial, quando se trabalha no computador, pois a tendência é assumir uma postura mais fechada. Uma pequena caminhada para ativar a circulação é mais uma medida muito válida.

Ao final do expediente, na ginástica de relaxamento, podemos finalizar com um alongamento generalizado. É interessante trabalhar, mais uma vez, a respiração, porque ela ajuda a aliviar a ansiedade e o estresse. Alguns movimentos ou posturas de yoga são muito bem-vindos, pois relaxam o corpo e a mente.

Lembrando que a ginástica laboral preparatória, a compensatória e a de relaxamento trazem um melhor efeito quando são direcionadas conforme a necessidade de cada time. A BeeCorp pode ajudar você com isso, identificando quais são os riscos para os seus colaboradores e definindo os melhores exercícios, práticas e ações para garantir a saúde e a segurança deles.

Saiba mais sobre as soluções oferecidas pela BeeCorp. Entre em contato conosco para ajudarmos a oferecer exatamente o que o seu time precisa.

Author
Douglas Araújo
Coordenador de projetos da BeeCorp, Douglas é especialista em educação física, enfermagem e terapeuta complementar. É um dos responsáveis por garantir que a metodologia BeeCorp de atendimento seja padrão e chegue a todos os nossos multiplicadores do bem-estar espalhados pelo Brasil.
x

Solicite uma proposta






    Fale com consultor!

    Fale com um consultor