9 melhores práticas para prevenir acidentes e doenças ocupacionais

Doenças ocupacionais
Categoria: Saúde

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e para que as empresas consigam se colocar à frente de seus concorrentes, é exigido cada vez mais de seus colaboradores. O grande desafio dos gestores tem sido criar um ambiente em que a eficiência e os resultados possam coexistir com a qualidade de vida, segurança e saúde dos profissionais. Cenário ideal para que os acidentes e as doenças ocupacionais sejam evitados.

Entretanto, encontrar alternativas nesse sentido não é uma tarefa fácil. Por isso, separamos 9 práticas para lhe ajudar a evitar os acidentes e doenças ocupacionais. Continue a leitura e descubra tudo sobre a prevenção de doenças e acidentes relacionados ao trabalho.

1. Reforce a importância dos EPIs

Toda atividade profissional, por mais simples que seja, pode oferecer riscos à saúde dos colaboradores de uma empresa.

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) são fundamentais na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, pois protegem os funcionários e fazem com que sua produtividade não seja afetada.

Cada função exige EPIs específicos, portanto, é importante conhecer a equipe de trabalho e a linha de produção, para que os equipamentos mais adequados a cada atividade laboral sejam utilizados.

Mantenha-os sempre em perfeito estado de conservação e não hesite em realizar trocas de equipamentos danificados ou desatualizados.

Uma importante estratégia para evitar acidentes e doenças ocupacionais, é através da CIPA. Essa comissão é peça chave na identificação e sugestão de soluções efetivas para os problemas.

Os membros dessa comissão podem ser a solução para o conscientização da população da empresa, para utilizar os EPIs, por exemplo.

2. Divulgue os riscos

Os problemas originados pelos riscos ambientais em uma empresa é um dos temas mais discutidos na área de segurança e saúde do trabalho.

Os riscos ambientais são divididos em:

  • físicos: relacionados às energias a que os funcionários de um negócio estão submetidos (vibrações, temperatura, pressões e radiações);
  • químicos: produtos e substâncias que, quando em contato com seres humanos, podem causar danos à sua saúde;
  • biológicos: causados por bactérias e outros micro-organismos que podem infectar os colaboradores de uma empresa;
  • acidentes: ocorrências em um ambiente de trabalho que causam danos à saúde dos trabalhadores;
  • ergonômicos: prejuízos originados pelo esforço físico intenso e em excesso.

Antes de prevenir qualquer acidente ou doença ocupacional, seus funcionários devem conhecer todos os riscos a que estão submetidos. Quando isso ocorre, eles criam consciência da importância da prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, já que agora entendem quão danosos esses riscos podem ser.

Dessa forma, promova palestras a fim de informar seus colaboradores sobre isso e não deixe de indicar, em seu ambiente de trabalho, os tipos de situações a que todos estão submetidos.

Não tem mapeado os riscos de cada função? Realize o quanto antes seu PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e AET – Análise Ergonômica do Trabalho.

 

3. Evite improvisos

Os acidentes e as doenças ocupacionais são quadros a serem evitados a todo custo em um espaço empresarial.

Lamentavelmente, alguns estabelecimentos não dão a devida importância ao assunto e acabam criando soluções erradas para os problemas que acontecem em seu ambiente de trabalho.

Não improvise. Siga as regras adequadas para a sua empresa e crie o mesmo pensamento na equipe. Somente com a padronização e a consistência é possível reduzir os riscos.

Do contrário, é impossível realizar a prevenção de doenças relacionadas ao trabalho. No final, tanto a organização quanto a equipe serão prejudicados.

O diálogo é primordial em todas as relações humanas da sociedade. Seja em uma sala de aula, em casa ou no trabalho, todos devem se comunicar da melhor maneira possível.

Uma empresa de sucesso é aquela que tem uma equipe de trabalho integrada, que troca constantemente informações e opiniões sobre suas atividades. Nesse quebra-cabeça, o gestor é a peça-chave do seu time.

Quando esse profissional exerce corretamente a função, todos se sentem confortáveis para tirar dúvidas e propor melhorias em relação às suas atividades de trabalho.

É extremamente significativo dar importância a esse feedback, com o objetivo de aprimorar a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais em um negócio; portanto, não deixe essa questão para depois, ok?

5. Capacite seus colaboradores

Os colaboradores são essenciais para se obter bons resultados. Afinal, empresas são resultados de pessoas. Todos têm que saber manusear suas ferramentas de trabalho de maneira correta e eficiente. Para tal, é necessário realizar treinamentos e workshops para instruí-los.

Os avanços tecnológicos ocorrem em nossa sociedade a todo momento, e é preciso ficar atento para não se tornar obsoleto.

Nunca pare de acompanhar as novas tendências e tecnologias utilizadas no ambiente de trabalho. Ao fazer isso, é possível minimizar e evitar as doenças ocupacionais, ao mesmo tempo em que o time se mantém atualizado e capacitado.

6. Entenda a importância de prevenir doenças ocupacionais

Ao falar em segurança do trabalho e em acidentes, é comum logo pensar em situações como quedas, incêndios ou impactos. Todos esses são riscos que devem ser observados, mas não são os únicos. A maneira de executar as atividades pode aumentar a propensão de doenças ocupacionais.

Elas têm a ver com condições do ambiente que são capazes de afetar o organismo. A exposição a excesso de ruídos, por exemplo, pode levar a uma perda parcial ou total de audição.

A execução de certos movimentos, por outro lado, causa lesões nos músculos e articulações. Por isso, é fundamental se comprometer com a prevenção das doenças relacionadas ao trabalho.

 


Ao investir na prevenção, em vez de pensar apenas no tratamento, é possível potencializar muitos resultados. A seguir, veja quais são os principais pontos positivos de se atentar à prevenção.

Redução no índice de afastamentos

Quando as doenças ocupacionais começam a afetar os colaboradores, o número de licenças e afastamentos dispara. Há, inclusive, condições incapacitantes e que tiram as pessoas do mercado de trabalho de maneira definitiva. Além dos prejuízos para os indivíduos, a empresa fica desfalcada e com prejuízos diretos na produtividade.

Com o estímulo à prevenção, por outro lado, essas ocorrências se tornam cada vez menos recorrentes.

Aumento na qualidade de vida

Cuidar da saúde dos colaboradores é uma excelente maneira de fortalecer o bem-estar e ampliar a qualidade de vida também para fora da empresa. Afinal, com o cuidado correto se evita dores, doenças crônicas e tantos outros incômodos e consequências.

Na prática, é um meio de aumentar a satisfação e o engajamento das pessoas, que percebem que a empresa se preocupa com elas. Além disso, há mais expectativa de vida e redução de ocorrência de quadros graves, como é o caso da Síndrome de Burnout.

Elevação da produtividade

Com um menor absenteísmo e maior qualidade de vida, também se potencializa a capacidade dos colaboradores. A possibilidade de ter a equipe sempre completa, faz com que o time fique mais engajado, integrado e produtivo. A eficiência é maximizada na hora de realizar as tarefas.

Outro aspecto tem a ver com o sentimento das pessoas. Como não lidam com os desconfortos das doenças ocupacionais, conseguem se engajar mais com a empresa. O aumento na qualidade de vida, ainda por cima, melhora a motivação, o que faz com que a produtividade seja duplamente ampliada.

Diminuição dos custos

Quando os times se tornam mais produtivos, é natural que os custos diminuam. Como é preciso gastar menos para ter o mesmo nível de resultados, se torna mais fácil enxugar as contas do negócio rumo ao crescimento.

Além de tudo, é um jeito de economizar em vários outros sentidos. Já que a prevenção de doenças relacionadas ao trabalho diminui os afastamentos, a empresa gasta menos com valores previdenciários, por exemplo. Também tem que direcionar montantes menores para o plano de saúde, que se torna mais caro com o aumento da sinistralidade.

Para melhorar, há uma diminuição nos custos referentes à substituição e ao treinamento de talentos, bem como com possíveis ações trabalhistas. No final, é um jeito de reforçar a previsibilidade financeira.

Aumento da lucratividade

Há, ainda, impactos positivos nos resultados financeiros da empresa. Se os gastos são menores, mesmo que os ganhos sejam mantidos, há uma elevação da lucratividade. Com o aumento da eficiência e da produtividade, entretanto, o provável é obter ainda mais resultados, o que favorece a margem.

Esse é um aspecto muito relevante, porque é a partir do lucro que o negócio passa a ter dinheiro para executar suas diversas atividades. Também é importante para conseguir realizar ações cada vez melhores de cuidado com a saúde e segurança. De forma simples, é um processo que oferece um excelente retorno quanto ao investimento realizado.

Ao entender essa questão, fica mais fácil envolver os colaboradores e fazer com que eles também fiquem de olho na própria saúde. O uso de EPIs, por exemplo, é essencial para evitar diversos danos que podem afetar a saúde. Já as campanhas de conscientização servem para ajudar a criar bons hábitos de alimentação e saúde.

Quanto maior for o cuidado nesse sentido, melhores são os resultados positivos e mais a equipe se torna preparada para realizar as atividades da maneira ideal.

7. Dê importância aos exames periódicos

As doenças ocupacionais são ocorrências que, na maioria das vezes, não acontecem repentinamente com os colaboradores. Elas podem ser originadas de situações repetitivas que, infelizmente, concretizam-se com frequência no ambiente de trabalho.

Para detectá-las, o RH e/ou SESMT devem fazer com que seus colaboradores sempre realizem exames médicos periódicos, a fim de manter atualizadas as informações sobre a saúde deles.

Com isso, é possível prevenir ou identificar doenças ocupacionais logo em sua origem, tornando o tratamento muito mais rápido e prático.

Além disso, é possível fazer um diagnóstico e acompanhar o quão prejudicial seu ambiente pode ser para seus colaboradores. Caso muitos apresentem problemas ou doenças ocupacionais, algo está errado e deve ser solucionado.

Um dos documentos exigidos por lei, é o ASO.

8. Promova o bem-estar corporativo

O trabalho é uma atividade cansativa e, em certos momentos, estressante. Isso pode ter consequências extremas, como é o caso do desenvolvimento da depressão.

Um funcionário que se sente confortável em sua empresa pode exercer as funções com mais qualidade e eficiência.

Logo, para que isso aconteça com mais frequência, a empresa deve promover o bem-estar corporativo. Veja abaixo algumas soluções:

A ginástica laboral, por exemplo, é essencial para corrigir a postura e evitar diversos problemas que se agravam com o tempo. Já as medidas de conscientização fazem a diferença para que o cuidado não fique limitado apenas ao ambiente empresarial.

Caso você esteja com dúvidas sobre como implementar tais práticas, faça uma pesquisa de mercado, encontre um time de profissionais especializado no assunto e descubra as soluções que sua gestão tanto busca!

9. Tenha o apoio da empresa certa

Por falar em escolher uma equipe especializada, é essencial contratar um negócio especializado em bem-estar corporativo e proteção contra doenças relacionadas ao trabalho. Com pessoas altamente capacitadas e soluções otimizadas, todo o processo é favorecido.

Para quem já tiver alguma condição, como os diabéticos, vale realizar a gestão de crônicos. Enquanto isso, programas como o controle de estresse e a academia corporativa, oferecidos pela parceria contratada, fazem toda a diferença para que problemas sejam evitados.

Em relação à ergonomia, o time também traz consultoria e pode até elaborar uma análise ergonômica do trabalho. A reinclusão dos afastados e a integração de pessoas com deficiência ajudam a completar esse quadro. Desse modo, evitam-se tanto os acidentes quanto as doenças ocupacionais.

A recomendação principal inclui escolher uma empresa com soluções completas e de qualidade. Com uma boa oferta de serviços, é possível centralizar o fornecimento, o que simplifica o processo. Já a qualidade é determinante para cumprir todas as expectativas em relação ao cuidado.

A prevenção de doenças relacionadas ao trabalho, bem como dos acidentes, é indispensável para o bem-estar e os bons resultados da empresa. Com as medidas certas, todo o negócio estará protegido!

Para ter muitas outras recomendações, assine nossa newsletter e receba outros conteúdos que podem melhorar a produtividade e a qualidade de trabalho de seu estabelecimento!

BLOG DA BEECORP
Você também pode se interessar
Saúde
Pressão baixa: entenda como agir, sintomas e causas

Pressão baixa: entenda como agir, sintomas e causas Por: Christine Ornelas

Quando a pressão arterial se encontra abaixo dos valores considerados normais, ou seja, 9 por 6, estamos diante do que é clinicamente conhecido como pressão baixa ou hipotensão arterial,...
Saúde
Saúde coletiva: o que é, como promovê-la e atuações profissionais

Saúde coletiva: o que é, como promovê-la e atuações profissionais Por: Anderson Rodrigues

A promoção da saúde coletiva é resultado de um pensamento sistêmico relacionado à saúde da população no geral. A partir disso, um estudo abrangente investiga as doenças mais comuns...
Saúde
CID 10: o que é, como consultar, códigos e classificações

CID 10: o que é, como consultar, códigos e classificações Por: Anderson Rodrigues

A CID 10 é uma lista de códigos que classifica doenças e condições médicas em categorias. O objetivo é padronizar a nomenclatura das patologias para facilitar a identificação delas...
Saúde
Lombalgia (dor lombar): causa, sintomas, diagnóstico e tratamento

Lombalgia (dor lombar): causa, sintomas, diagnóstico e tratamento Por: Alice Araujo

Se você nunca teve lombalgia, certamente conhece alguém que já sofreu por causa dela. Segundo estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde), nada menos que 80 a cada 100...
Saúde
Febre: o que é, causas, sintomas e mais!

Febre: o que é, causas, sintomas e mais! Por: Anderson Rodrigues

A febre é uma alteração comum associada a várias doenças. Infecções, estresse, viroses, entre outros problemas de saúde, como dor de cabeça intensa, podem ocasionar o aumento da temperatura...
Saúde
Ansiedade: quais são os sintomas e como controlar

Ansiedade: quais são os sintomas e como controlar Por: Paola Sobral

Essa sensação natural é um estado de angústia caracterizado pela sensação de medo, insegurança e incerteza. A ansiedade desencadeia diversos sintomas, como excesso de preocupação, pensamento acelerado, insônia, fobias,...
Saúde
Checkup: o que é feito, quais são os exames e frequência indicada

Checkup: o que é feito, quais são os exames e frequência indicada Por: Anderson Rodrigues

Muitas pessoas ainda costumam procurar o médico apenas quando estão doentes. No entanto, o ideal é que todos façam um checkup periódico para monitorar sua saúde, a fim de...
Saúde
Psicologia: áreas de atuação e o que faz um psicólogo

Psicologia: áreas de atuação e o que faz um psicólogo Por: Paola Sobral

A Psicologia se refere ao estudo do comportamento humano e sua relação com o meio. Ela se ramifica em diversas áreas específicas, como Psicologia Ocupacional, Comportamental, do Esporte, Clínica,...
Saúde
ASO: esclareça as principais dúvidas sobre o Atestado de Saúde Ocupacional!

ASO: esclareça as principais dúvidas sobre o Atestado de Saúde Ocupacional! Por: Anderson Rodrigues

O Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) é um documento que comprova quando o trabalhador tem a condição de saúde adequada para executar certas funções. É uma exigência para todos...
SOLUÇÕES EM DESTAQUE
Qualidade de vida, Saúde e Ergonomia
Preparado para transformar pessoas e negócios?
O investimento em saúde, segurança e qualidade de vida impacta diretamente nos resultados da sua organização.
Fale com nossos especialistas
x

Solicite uma proposta







    Assine nossa newsletter

      Autor
      Ana Flávia Oliveira

      Especialista em Enfermagem do Trabalho, Ergonomia aplicada ao Trabalho e Gestão de Pessoas

      5 Comentários

      1. Maria Do Carmo Camargo Camargo disse:

        amei maravilhosso !!!!

      2. Rute Duarte disse:

        muito bem elaborado!

      3. […] melhoria e a segurança dos ambientes e campos de trabalho. Também é relacionada com estudos da prevenção de doenças ocupacionais e acidentes de […]

      4. […] gestão adequada para que sejam cada vez menores as ocorrências de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais. Para esse fim, o gerenciamento de riscos ocupacionais (GRO) é a estratégia mais […]

      5. […] referido. Essa iniciativa constitui um marco de modernização no segmento, com reflexos diretos na prevenção de acidentes do trabalho e doenças […]

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

      Fale com consultor!

      Fale com um consultor

        Cadastrar currículo