Blog da Beecorp

Homem trabalhando
Ergonomia

Ergonomia: como ela aumenta a produtividade da empresa

Artigo publicado originalmente em 07 de julho de 2017 e atualizado em 14 de março de 2019.

Sem tempo de ler? Clique no player acima para ouvir o conteúdo.

Um colaborador pode trabalhar até 2.030 horas por ano, o que significa, muitas vezes, que ele acaba passando mais horas por dia na empresa do que em sua própria casa. Nesse cenário, a ergonomia é uma grande aliada da empresa, uma vez que consegue tornar essas horas de trabalho mais produtivas.

Diante de um cenário econômico instável, a produtividade e o bom desempenho dos colaboradores fazem toda a diferença para manter a lucratividade do negócio. Mas como aumentar sua produtividade a partir da ergonomia?

Vamos compreender o que é a ergonomia e como ela não só impacta diretamente a produtividade, mas também o bem-estar, a saúde e a segurança dos funcionários de uma corporação. Acompanhe a leitura e saiba mais!

 

O que é ergonomia?

O termo ergonomia deriva do grego: ergon, que significa trabalho, e nomos, que significa leis ou normas. Portanto, ergonomia é a ciência que estuda as condições de trabalho.

Na prática, podemos dizer que a ergonomia estuda, desenvolve e aplica regras e normas a fim de organizar o trabalho e torná-lo compatível com as características físicas e psíquicas do ser humano. Para tal, os especialistas buscam conhecer o perfil dos colaboradores, o tipo de atividade exercida e a quais riscos ergonômicos à saúde física e mental a equipe está exposta.

Segundo a fisioterapeuta Carolita Borges, é essencial que a prática seja desenvolvida por um profissional qualificado, pois cada empresa tem suas especificidades:

O profissional vai até o ambiente de trabalho e avalia a postura, movimento e móveis para depois aplicar a ergonomia de acordo com as necessidades de cada empresa.”

Conhecendo essas características, é possível traçar as condições ideais para a execução das tarefas laborais, assim como realizar as adaptações necessárias no ambiente de trabalho.

 

Ergonomia como uma exigência legal: a NR 17

A Norma Regulamentadora nº 17 foi desenvolvida pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) junto de entidades trabalhistas (sindicatos e associações), fazendo com o que a ergonomia seja reconhecida e exigida por lei como fator determinante para a saúde, segurança e qualidade de vida no trabalho. O aumento de casos de doenças ocupacionais por falta de condições adequadas de trabalho motivaram sua criação.

A regulamentação vem apoiar trabalhadores e empresários, ao buscar minimizar o impacto que os riscos ergonômicos trazem ao ambiente corporativo. Podemos destacar a alta incidência de doenças ocupacionais, acidentes de trabalho, afastamentos e queda de produtividade.

A NR 17 tem como objetivo estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às condições psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar o máximo de conforto e segurança e um desempenho eficiente. Ela é mais que uma exigência legal — é uma verdadeira ferramenta de apoio à gestão de pessoas.

 

NR 17 e a Análise Ergonômica do Trabalho

Sabendo do que trata a ergonomia e todas as questões relacionadas a ela, é necessário contar com uma ferramenta para colocá-la em vigor dentro da organização. Assim, a própria norma exige que os empregadores realizem a Análise Ergonômica do Trabalho, também conhecida pela sigla AET.

Para levantar as informações necessárias, é preciso levar em conta os seguintes aspectos:

  • as normas de produção;
  • o modo operatório;
  • a exigência de tempo;
  • a determinação do conteúdo de tempo;
  • o ritmo de trabalho;
  • o conteúdo das tarefas.

Após observar e avaliar, é possível documentar, por meio da AET, as relações existentes entre as doenças, acidentes ocupacionais e a produtividade com as condições laborais, os sistemas e a organização do trabalho. Dessa forma, a documentação deve contemplar, no mínimo, as seguintes informações:

  • levantamento de materiais;
  • transporte de cargas;
  • descarga de materiais;
  • adequação ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho;
  • organização do trabalho.



Os benefícios da ergonomia no trabalho

Quando bem aplicada em um espaço corporativo, a ergonomia pode proporcionar uma série de benefícios, tanto aos funcionários, quanto à empresa. Abaixo, listamos os principais deles. Confira:

Valoriza o trabalho dos colaboradores

Assim que uma empresa oferece boas condições de trabalho aos seus funcionários, ela estará fazendo com que eles se sintam mais dispostos a exercer as suas funções naquele determinado espaço.

A princípio, esse detalhe pode parecer um tanto simples demais, mas acredite: esse tipo de preocupação faz com que, de forma indireta, os trabalhadores se sintam reconhecidos e valorizados por uma corporação.

Quando isso acontece, é inevitável: toda a equipe fica mais motivada para bater as metas e fazer com que a empresa cresça como um todo. Inclusive, muitos gestores encaram essa prática como uma estratégia incrível para reter os talentos e, com isso, conquistar uma vantagem competitiva dentro do mercado de trabalho. Pense nisso!

Diminui o absenteísmo

O absenteísmo é um grande desafio a ser contornado pelos gestores de uma empresa. Quando faltas e afastamentos ocorrem, o trabalho de toda a equipe é prejudicado, e, inclusive, a corporação pode ter grandes prejuízos financeiros. Por isso, pensar em soluções capazes de evitar esse cenário é fundamental — e a ergonomia é uma delas.

Ao considerar todos os detalhes para evitar que a saúde dos seus colaboradores fique comprometida, os índices de absenteísmo diminuem de forma significativa. Entender isso é fácil: com a ergonomia, é possível não apenas evitar o surgimento de doenças laborais, como também prevenir uma série de acidentes que, a longo prazo, podem impactar diretamente o quadro de faltas e afastamentos.

Aumenta a produtividade da equipe

Boa parte dos gestores que investem na ergonomia já notaram que, quando a empresa proporciona um ambiente adequado ao trabalhador, automaticamente, a sua produtividade aumenta. Em alguns casos, basta fazer alguns ajustes simples no espaço, como trocar a iluminação, cadeiras ou mesas de um escritório.

Tais atitudes são excelentes para influenciar o desempenho e comprometimento dos colaboradores com a sua empresa. O resultado disso? Com um ambiente completo e preparado, é possível diminuir a taxa de erros ou trabalhos malfeitos, uma vez que toda a equipe estará mais concentrada e determinada a cumprir a sua função.

A longo prazo, a empresa só tende a ganhar: melhores resultados e um excelente reconhecimento em seu segmento de atuação.

Previne doenças laborais

Uma série de doenças podem ser desenvolvidas no ambiente de trabalho. Normalmente, essas condições surgem quando o funcionário realiza movimentos repetitivos ou a partir de posturas inadequadas ao longo do dia.

Com o passar do tempo, algumas complicações podem surgir, tais como as dores crônicas na região lombar, enxaquecas, tendinites ou a LER (Lesão por Esforço Repetitivo). Preocupante!

Para contornar o cenário, os empresários podem contar com a ajuda da ergonomia no ambiente de trabalho. Seguindo essa prática, os equipamentos, móveis e demais detalhes são todos ajustados, com a finalidade de oferecer ao colaborador um espaço confortável e adequado, evitando o desenvolvimento de tais patologias. Veja algumas maneiras de colocar essa ideia em prática:

  • invista em cadeiras que tenham o assento ajustável. É importante lembrar que os pés do indivíduo precisam ficar completamente apoiados no chão.
  • instale mesas e balcões que fiquem posicionados na altura da cintura dos profissionais;
  • os computadores, monitores e outros aparelhos eletrônicos devem ser posicionados na altura da cabeça do funcionário. Para facilitar o processo, procure adquirir equipamentos ajustáveis;
  • trabalhadores que exercem as suas funções em ambientes com grandes níveis de ruídos devem trabalhar com abafadores de som. Em geral, esse cuidado é tido em indústrias;
  • o mesmo vale para colaboradores que trabalham manuseando produtos químicos. Nesse caso, é indicado o uso de máscaras próprias de proteção.

 

Como aumentar a produtividade através da ergonomia?

Agora que já compreendemos o que é ergonomia e qual é a legislação por trás dela, vamos falar sobre a tão almejada produtividade. Sylvia Volpi, especialista na área, diz que:

a ergonomia visa a enriquecer o conceito de produtividade conjugado aos conceitos de eficácia, bem-estar e qualidade”.

A ergonomia não só promove conforto, segurança e qualidade de trabalho para os colaboradores desempenharem bem suas atividades — ao reduzir a penosidade do ser humano, por promover sua melhor adaptação ao trabalho, a produtividade surge naturalmente, como consequência de todo esse processo.

Afinal, o que é produtividade?

Produtividade é um termo que contempla a relação entre os recursos utilizados e a produção final. Desse modo, podemos defini-la como “resultado daquilo que é produtivo, ou seja, do que se produz, do que é rentável”.

Entretanto, quando tratamos de recursos humanos, os níveis rentáveis de produtividade dependem de múltiplas variáveis. Podemos destacar, entre elas, a ergonomia.

Forneça um ambiente de trabalho adequado

A falta de condições físicas adequadas pode levar ao desenvolvimento de graves problemas de saúde. Não só a saúde física do colaborador é comprometida, mas também a mental.

O desenvolvimento de distúrbios como LER (Lesão por Esforço Repetitivo) e DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho) são os exemplos mais recorrentes do comprometimento físico do trabalhador. Fatores como iluminação ineficiente e ruídos também interferem diretamente no desempenho.

No entanto, além das adaptações físicas que proporcionam conforto e segurança aos colaboradores, um ambiente de trabalho ideal deve ser voltado às pessoas, ou seja, é preciso valorizar e investir nos colaboradores. Ao lado de salários, benefícios e oportunidades de crescimento, o ambiente de trabalho pode ser um fator-chave para a organização.

Instrua os colaboradores

A conscientização dos colaboradores contribui efetivamente para a redução das doenças e acidentes de trabalho, aumentando a produtividade.

A adoção de pausas regulares e de uma postura correta ao sentar, por exemplo, pode evitar dores nas costas, a principal causa de afastamento do trabalho, segundo o INSS. De acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 8 em cada 10 pessoas vão ter problemas de coluna em algum momento da vida.

O ortopedista Alberto Gotfryd, do Hospital Albert Einstein, afirma:

“Ficar sentado por muito tempo aumenta a pressão interior dos discos intervertebrais, que são essas peças de cartilagem no final da coluna”

E trabalhar com dor durante várias horas do dia, certamente, afeta a produtividade.

Estimule os funcionários a se exercitarem

A atividade física, qualquer que seja, proporciona saúde, conforto e bem-estar às pessoas. Assim, estimular a prática de exercícios é um verdadeiro investimento na produtividade dos colaboradores.

Voltando às dores na coluna, o ortopedista Alberto Gotfryd diz que a musculatura que envolve a região lombar precisa ser trabalhada e fortalecida para minimizar os incômodos. Afinal, ela funciona como um suporte adicional à sustentação de peso.

Uma pessoa com fraqueza muscular, ansiedade, estresse e dores crônicas tem seu desempenho claramente comprometido. Por isso, desenvolva ações e programas que promovam hábitos de vida saudáveis, fortaleçam o sistema musculoesquelético, minimizem a sensação de fadiga e combatam o sedentarismo.

A ginástica laboral é uma ótima alternativa para promover a prática dentro da própria rotina de trabalho; também é possível formar grupos de corrida e caminhada, que são uma excelente alternativa e ainda promovem a integração da equipe.



Modo de implementar a ergonomia

Qualquer fator que afete a saúde, satisfação, disposição e motivação do trabalhador compromete sua produtividade e, consequentemente, a conquista de bons resultados pela empresa. Dessa forma, um ambiente de trabalho ergonomicamente inadequado é um grande empecilho à organização.

A ergonomia visa desenvolver, de forma confortável e produtiva, a ligação entre o ser humano e o trabalho. Ao adaptar as condições trabalhistas às características do profissional, ela evita os riscos ergonômicos e proporciona mais saúde, conforto, segurança e bem-estar.

Para facilitar essa tarefa, selecionamos abaixo algumas práticas essenciais e que ajudarão você a colocar a ergonomia em prática dentro da sua empresa. Confira:

Crie um comitê de ergonomia

De acordo com a NR-17, é fundamental que a empresa se conscientize sobre a importância da ergonomia no trabalho. Além disso, caso resolva colocá-la em prática, é obrigatória a realização de treinamentos específicos.

Essa capacitação serve para que os profissionais da equipe entendam mais sobre a relação entre ergonomia, segurança e saúde. E para educar os funcionários, o melhor caminho é criar um comitê de ergonomia.

Basicamente, esse comitê é formado por colaboradores, que estarão capacitados para acompanhar e analisar todas as sugestões e mudanças propostas no ambiente de trabalho.

A vantagem de investir nessa prática é que o comitê ajudará a manter o espaço corporativo mais seguro e confortável para todos, independentemente das atividades exercidas individualmente. Para criar um comitê de ergonomia, você precisará:

  • eleger os membros da equipe que farão parte do comitê. A recomendação é eleger um membro de cada setor da empresa;
  • treinar os profissionais, seja com palestras, cursos, workshops ou materiais informativos;
  • fazer a Análise Ergonômica do Trabalho;
  • traçar um planejamento de ações para o comitê.

Elabore um plano de ação

Depois de eleger os membros do comitê de ergonomia, é hora de arregaçar as mangas e tirar essa ideia do papel. Como isso pode ser feito? Simples: comece desenvolvendo um plano de ação.

Nessa etapa, muitos profissionais costumam utilizar o famoso 5W3H. Essa ferramenta serve para conduzir todo o plano de ação, auxiliando nas avaliações e permitindo a implantação de ações efetivas no ambiente corporativo. Traduzindo do inglês, a técnica pode ser explicada da seguinte maneira:

  • What: o que será feito? Quais são as soluções e ações eficazes para solucionar os problemas encontrados?
  • Why: qual o objetivo dessas mudanças?
  • Where: o que será modificado em cada setor da empresa?
  • When: quando essas mudanças serão feitas? Qual o prazo de início e conclusão de cada etapa?
  • Who: quem será o responsável por realizar essas tarefas?
  • How: como essas estratégias serão colocadas em práticas? Aqui, é importante detalhar muito bem qual metodologia será utilizada
  • How much: quais serão os custos envolvidos nessas ações?
  • How many: mensuração e análise dos resultados

Conte com o auxílio de uma empresa especializada

Caso esteja encontrando dificuldades em realizar essas tarefas, considere contratar os serviços de uma empresa especializada no assunto, como as consultorias de ergonomia e bem-estar no trabalho. Ao contar com o acompanhamento de um consultor, você receberá um diagnóstico ergonômico detalhado, com todas as questões que devem ser melhoradas dentro da empresa.

Além disso, o profissional fornecerá as melhores medidas a serem tomadas para cada caso, proporcionando, assim, mais praticidade e economia de tempo e dinheiro para a sua organização. Experimente!

Gostou de conhecer mais sobre a ergonomia, os seus benefícios e como colocar essa ideia em prática? Agora que você já sabe tudo sobre o assunto, aproveite a oportunidade e entre em contato conosco. Será um prazer solucionar as suas dúvidas!