Como a segurança no trabalho pode ajudar na saúde financeira da minha empresa?

Por 12 de setembro de 2017Ergonomia
Segurança no trabalho

O termo “segurança no trabalho” parece um pouco vago, não é? Afinal, o que significa garantir a segurança dos seus funcionários? Além de manter a integridade física das equipes, o que mais estaria incluso?

Podemos falar desse assunto sob várias óticas. Para este artigo, escolhemos tratá-lo sob um viés econômico. Afinal, investir em segurança traz retornos para a empresa que vão além da integridade dos colaboradores, possibilita um verdadeiro aumento nos lucros.

Confira 5 dicas de como a segurança no trabalho pode melhorar os números nos balanços financeiros da sua empresa!

1. Identificar as fraquezas da empresa

Acidentes de trabalho podem acontecer por uma série de fatores. Encontrar os motivos é fundamental para identificar onde a empresa está pecando, por falta de investimentos ou treinamentos, na segurança de seus funcionários. São possíveis causas de acidentes:

  • falta de concentração e atenção dos funcionários;
  • cultura de distração entre as equipes;
  • prazos muito curtos, que levam à execução apressada;
  • falhas de segurança no recolhimento de detritos ou entulhos;
  • pouca comunicação entre gestores e equipe;
  • falta de investimento em manutenção e substituição de equipamentos;
  • desobediência às normas de segurança no trabalho;
  • não existência de fiscalização para o cumprimento das normas de segurança;
  • necessidade de treinamentos e cursos de reciclagem.

Cada um desses pontos representa uma fraqueza que pode estar custando muito ao caixa da empresa, nas formas de manutenções de emergência, acidentes, licenças médicas e atrasos na produção.

Se você reparar bem, todas elas podem ser solucionadas com ações bem direcionadas de segurança no trabalho, principalmente para a conscientização dos envolvidos sobre a importância de respeitar as normas e regulamentações.

2. Direcionar os investimentos em equipamentos

Dedicar um tempo para analisar a segurança no trabalho na sua empresa pode mostrar dados alarmantes sobre investimentos recentes. O ideal é que as manutenções nos equipamentos ocorram sempre de forma preditiva, ou seja, antes que os defeitos apareçam. Isso vale para qualquer equipamento, desde máquinas industriais até computadores e impressoras.

Porém, se não há um mapeamento dos prazos de manutenção de cada aparelho, a tendência é que reparos só sejam feitos em cima da hora. Como resultado da falta de planejamento, o custo é mais alto, já que não há tempo para cotar fornecedores e negociar preços e condições como se deveria.

Ainda, equipamentos defasados são um risco enorme para a saúde financeira da empresa. Além de colocar a integridade da equipe em risco, prejudicam a produtividade dos funcionários e atrapalham todo o calendário de entregas.

Por isso, investir na manutenção e na substituição programada de equipamentos é uma ação de segurança no trabalho, totalmente relacionada aos resultados positivos ou negativos ao fim de cada mês.

3. Mapear os riscos de segurança no trabalho

É fundamental conduzir uma investigação detalhada sempre que ocorre um acidente de trabalho. Afinal, é preciso levantar as causas para compreender o que poderia ter sido feito diferente e evitar que o episódio se repita. Em casos de acidente por falhas de segurança, a investigação pode trazer à tona riscos graves para a sua empresa.

Por exemplo: ao descobrir uma falha em um departamento, você pode descobrir que o mesmo problema se repete em diversos setores. Assim, os riscos para os seus funcionários podem ser muito maiores do que se imaginava. Ou, ainda, você pode detectar comportamentos nocivos à segurança das equipes, e isso pode motivar uma intervenção.

Compreender quais são, onde estão e por que existem determinados riscos em cada fase da sua cadeia produtiva é essencial para extingui-los. Tendo um mapeamento da situação da segurança na empresa, você consegue programar ações direcionadas para cada risco. Assim, é possível agir de forma assertiva, eliminando o problema pela raiz.

4. Ajudar nos treinamentos de funcionários

O mesmo mapeamento de riscos que ajuda a direcionar suas ações de controle pode guiar as iniciativas de treinamento dos funcionários. Ao contratar novos reforços para o time, é comum que eles recebam treinamentos e capacitação para ocupar suas posições.

Porém, o mesmo esforço deve ser estendido aos funcionários antigos do quadro da organização. Para superar os riscos de segurança no trabalho, às vezes, é preciso mudar alguns pontos da cultura da empresa. Não dos valores estabelecidos pela diretoria, mas do dia a dia e das rotinas das equipes.

Lembra-se do início do artigo, quando falamos em distrações? Elas podem causar acidentes terríveis em vários contextos se a concentração não for parte da cultura.

Pensando nisso, não é possível exigir que um funcionário seja focado 100% do tempo, mas é necessário evitar que ele se distraia com facilidade ao longo do expediente, principalmente se manejar equipamentos com risco de acidente. Para tanto, treinamentos frequentes podem ser soluções, com atenção especial para métodos de concentração, por exemplo.

5. Melhorar o desempenho da equipe

As medidas adotadas para aperfeiçoar a segurança no trabalho podem otimizar o desempenho da equipe em vários níveis e consequentemente impactar financeiramente a empresa. Em primeiro lugar, trabalhar em um ambiente adaptado e seguro é um fator de motivação. Além disso, ao investir em ergonomia a empresa garante condições de trabalho adequadas às necessidades dos funcionários.

Ela é uma exigência legal por meio da Norma Regulamentadora 17 do Ministério do Trabalho. Essa normativa foi criada em parceria com entidades sindicais, instigadas pelo aumento dos afastamentos por doenças ocupacionais e dos acidentes de trabalho.

A ergonomia garante segurança no trabalho e é colocada em prática através da realização da Análise Ergonômica do Trabalho (AET). São exemplos de algumas medidas que podem ser implementadas:

  • adequação do mobiliário: mesas em alturas adequadas para manter boa postura, acompanhadas de cadeiras com apoio para coluna e braços;
  • condições apropriadas de temperatura e iluminação nos ambientes;
  • incentivo a hábitos saudáveis dentro e fora da companhia;
  • instruções para transporte e manuseio de cargas: como manejar corretamente as cargas sem prejudicar a coluna;
  • implementação de pausas nas jornadas de trabalho: evita que os funcionários desenvolvam lesões por esforço repetitivo ou fiquem muito tempo na mesma posição;
  • controle de ruídos;
  • uso de equipamentos de proteção correspondentes aos riscos de cada função.

Com essas medidas, é possível reduzir as licenças médicas e os acidentes. Assim, a empresa economiza dinheiro e melhora o desempenho de suas equipes, podendo até maximizar a produtividade e o lucro.

Como você viu aqui, investir em segurança no trabalho significa proteger seus funcionários, e, mais ainda, garantir o futuro da empresa. Conduzindo investigações, mantendo uma fiscalização ativa das normas de prevenção e investindo constantemente para melhorar as condições de trabalho, os retornos estarão garantidos!

E agora que você já tem em mãos diversas dicas de segurança no trabalho, quer saber como implementar um plano de ação na sua empresa? Entre em contato com a Beecorp e converse com um de nossos especialistas. Descubra, hoje mesmo, como podemos te ajudar!

Gostou do artigo? Leia também:

Comentários

Comentários